Mostrar mensagens com a etiqueta misterios do passado. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta misterios do passado. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Como os Anunnaki substituíram os “Igigi” por humanos

A origem da humanidade sempre foi a maior duvida de sempre. Os cientistas presumem que a vida tem evoluído desde há milhões de anos nos oceanos e que os humanos são apenas o resultado dessa evolução. 

Mas os teóricos dos antigos astronautas têm uma opinião diferente sobre a origem da humanidade. Eles acreditam que Deuses antigos, os Annunaki, vieram à Terra num passado distante e criaram os humanos modificando geneticamente os primeiros humanos para usá-los como mão de obra.


Anunnaki
Photo//Factos desconhecidos

Os Anunnaki podem ter sido a origem da raça humana, afirmam os teóricos


Os relatos dizem que antes dos humanos, os Anunnaki usaram os Igigi (às vezes também chamados de “Igigu”), a jovem geração de Deuses Antigos Astronautas como seus servos para minerar ouro na Terra, sendo depois substituídos pelos humanos quando se rebelaram contra os Annunaki. Para os antigos mesopotâmicos, o céu é dividido em três cúpulas. A cúpula mais baixa do céu era a casa das estrelas e a cúpula do meio era a casa dos Igigi, os deuses mais jovens. A cúpula mais alta e externa do céu foi personificada como An, o deus do céu.


 
Não está esclarecido o significado da terminologia usada para descrever os deuses, mas os investigadores acreditam que o termo Igigi é de origem semítica e indica um grupo de possivelmente sete ou oito deuses no panteão mesopotâmico. Eles eram meio-humanos, meio-animais. Acredita-se que Marduk, o deus patrono da cidade da Babilónia, pertencia aos Igigi.



Igigi
Os Igigi foram forçados a cavar um curso de água. Eles se cansaram disso, então se revoltaram contra Enlil, um dos principais Anunnaki. Eles queimaram suas ferramentas e cercaram a propriedade de Enlil. Quando os Anunnaki percebem que os Igigi não vão desistir da greve, eles decidem que é hora de uma nova solução para seu problema de trabalho , e essa solução foi a criação dos seres humanos.
Photo//howandwhys




O termo Igigi é atestado pela primeira vez em textos do período da Antiga Babilónia e ocorre apenas em contextos acadianos. Um equivalente logográfico sumério do termo Igigi é nun-gal-e-ne, que deve ser traduzido como "os grandes príncipes / soberanos". Esse termo é mencionado num texto literário atribuído à princesa Enheduanna, filha do rei Sargon, fundador da antiga dinastia acadiana. Esta composição em particular só é atestada em manuscritos da Antiga Babilónia e não está claro se uma data mais antiga pode ser comprovada. É possível que nun-gal-e-ne fosse originalmente um epíteto dos deuses Anunna que mais tarde foram identificados com os Igigi sob a influência de acadiano.


 
Além disso os Igigi são considerados as divindades sumérias mitológicas pelos principais estudiosos. Segundo eles, os  Igigi trabalharam para os poderosos Anunnaki como servos que iniciaram uma rebelião contra seus senhores e a ditadura de Enlil. Os Anunnaki substituíram os Igigi por humanos.

No século 18 AC, épico acadiano conhecido como Atra-Hasis, o paraíso sumério é descrito como um jardim onde deuses inferiores (os Igigi) foram colocados para trabalhar cavando um curso de água pelos Anunnaki.

Quando os Deuses, como os homens, suportavam o trabalho e sofriam, o trabalho dos Deuses era grande e pesado, e a angústia foi muito grande. ”
 
“Os Sete grandes Anunnaki estavam fazendo os Igigi sofrerem o trabalho.”



A teoria dos antigos astronautas alienígenas sugere que os Igigi eram semelhantes aos Anunnaki que permaneceram em órbita do planeta Terra. Eles atuaram como intermediários entre a Terra e o Planeta Nibiru, lar dos Anunnaki.

De acordo com o autor Zecharia Sitchin, os Annunaki modificaram o DNA de humanos pré-históricos há 450.000 anos, misturando seus genes com eles e os colocando em trabalho de mineração de recursos naturais da Terra, como ouro. Ele disse que o planeta Nibiru tem uma longa órbita elíptica e se aproxima da Terra a cada 3.600 anos. Além disso ele afirmou que cerca de 450.000 anos atrás os Anunnaki foram atraídos pelas reservas de ouro no sudeste da África. 




Igigi-deuses
Os Igigi parecem ter sido uma categoria inferior de deuses. Eles eram uma classe de servos que existia antes dos seres humanos serem criados.
Photo//howandwhys




De acordo com uma teoria os Igigi permaneceram em órbita do nosso planeta em plataformas gigantes que processavam minério entregue da Terra. Depois de processar os minerais o material foi transferido para outras naves e eventualmente transportado para o planeta natal dos Anunnaki. Aparentemente o Igigi nunca se encontraram com a humanidade. Vários textos revelam que os Igigi eram "muito elevados para a humanidade" e, consequentemente, "não se preocupavam com as pessoas"




.



Posteriormente, os Igigi se revoltaram contra os Anunnaki após anos de trabalho árduo. Diz-se que eles 'incendiaram suas ferramentas e cercaram a grande casa de Enlil à noite', forçando os antigos Anunnaki a encontrar outra fonte de trabalho.




Após este incidente, os Anunnaki substituíram os Igigi por humanos. Sitchin explicou que quando os Anunnaki vieram para a Terra, eles encontraram homens primitivos. O Deus Annunaki Enki, também conhecido como o Deus do conhecimento, interferiu nos genes desses bípedes, modificou geneticamente seu DNA e os fez trabalhar como mineradores.

As cidades feitas pelos deuses foram destruídas no grande dilúvio há 30.000 anos, que os levou a passar seus conhecimentos aos humanos. Posteriormente, Sitchin disse que os deuses Annunaki voltaram para sua casa em uma nave espacial há cerca de 2569 anos (550 aC).


A Humanidade é o resultado de pelo menos quatro linhagens ancestrais


Referencia//Howandwhys


segunda-feira, 27 de setembro de 2021

O que é a lendária civilização de Agartha

A civilização de Agartha é uma lenda que apareceu entre os séculos 17 e 18 na Europa, junto com as primeiras teorias científicas sobre a formação da Terra.

Segundo os cientistas da época, o planeta seria formado por quatro esferas concêntricas, com interior oco. Agartha, segundo o mito, é uma civilização altamente desenvolvida, similar á Atlântida, e que viveria na esfera mais profunda da Terra, onde haveria uma espécie de sol, que é metade brilhante e metade negro.


agartha
Photo//Youtube


Os cientistas fazem uma previsão para quando ocorrerá a "Catástrofe Global"



As entradas para esse mundo situar-se-iam nos extremos norte e sul do planeta, onde nenhuma expedição havia conseguido chegar até o século 20. As suas principais manifestações, vistas daqui, do "lado de fora", seriam a aurora boreal e austral e a visita eventual dos seus habitantes, em discos voadores.

Como toda boa lenda, há dezenas de formas de se contar as histórias desse povo. Entre os possíveis feitos dessa civilização estão o alerta à raça humana sobre o perigo dos testes com bombas nucleares e da devastação do meio ambiente.



A revelação da Teoria da Relatividade a um investigador americano, muito antes que Einstein a concebesse, e a formulação das estratégias utilizadas por Hitler durante a Segunda Guerra Mundial, o treino dos seus militares e seu asilo político depois de sua derrota.

Agartha, seria então um reino existente no centro da Terra, ou dentro da Terra. Assim, a sua existência estaria associada às teorias da Terra Oca e à cidade sagrada de Shambhala.



Shambhala, existe no imaginário do budismo e do hinduísmo, dentre outros cultos religiosos, e encontra-se associada ao “axis mundi”, ou eixo primordial mitológico de um povo ou cultura, sendo uma das oito cidades sagradas localizadas na quarta dimensão, como é vista pela tradição ocultista, baseada principalmente em textos do budismo e consequentemente do hinduismo.



Nesse reino mítico, existiria um monarca, chamado Melki-Tsedeq, ou Melquisedeque, que a partir daí, governaria o mundo. Este misterioso personagem é citado na Bíblia (Gên. 14:18-20 e Heb 6:17-20 e 7:1-3).

No Budismo tibetano crê-se que haveria canais de ligação entre Shambhala e o reino budista dos Dalai Lama.



As pirâmides formam rede de comunicação intergaláctica


Referencia//Wiipédia

sábado, 11 de setembro de 2021

As pirâmides formam rede de comunicação intergaláctica

Os investigadores do complexo da pirâmide na Bósnia fizeram vários achados surpreendentes, lembrando a recente descoberta de ondas estacionárias, uma forma de energia livre descrita por Nikola Tesla que poderia constituir a base de uma "internet cósmica" que conecta lugares remotos em toda a galáxia.

As pirâmides são consideradas cemitérios sagrados onde grandes governantes foram colocados e preparados para seu sono final. Não há aplicabilidade envolvida quando se fala desses magníficos monumentos que estão espalhados por todo o mundo, exceto pelos inúmeros símbolos que apontam com precisão para várias regiões e eventos cósmicos.



bosnian-pyramids-complex
Photo//Anomalien


Os Anunnaki estão voltando. Porque quiseram apagar-los da história?


Enquanto alguns historiadores e especialistas estavam confiantes com a ideia acima mencionada, outros decidiram seguir um caminho desafiador que acabaria por revelar o verdadeiro significado das pirâmides, se é que havia uma.

Vamos concentrar nossa atenção no Dr. Semir Osmanagich, um investigador bósnio que estudou essas complexas heranças deixadas por nossos antepassados ​​durante mais de 25 anos. Se o nome dele é desconhecido, ele é um descobridor das pirâmides da Bósnia, um antigo local do Leste Europeu com dezenas de milhares de anos.



Desde a primavera de 2005, quando essas estruturas grandiosas foram encontradas, o Dr. Osmanagich fez várias outras descobertas espantosas que parecem contradizer o paradigma estabelecido em vários níveis.

As escavações começaram em 2006 e, após mais de 10 anos de escavações, o local tornou-se o mais arqueologicamente ativo do mundo. Este projeto sem fins lucrativos reúne centenas de voluntários e numerosos especialistas de várias áreas todos os anos, porque a exploração desses vestígios antigos oferece perceções que abalam a história.



Vamos destacar alguns deles:

1. As pirâmides da pequena cidade de Visoko, na Bósnia, são os primeiros monumentos desse tipo descobertos na Europa. Isso não é surpresa, mas sim um acréscimo a um capítulo da história até agora desconhecido por nós, em uma parte do mundo conhecida por ter sido governada por uma civilização misteriosa “Vinča” com um sistema de escrita cuneiforme anterior ao dos sumérios.

2. Essas pirâmides são “as maiores do planeta”, de acordo com o Dr. Osmanagich. A “Pirâmide do Sol”, que é a maior das três, se estende por cerca de 360 ​​metros no lado leste e 220 metros no lado norte, onde encontra as colinas.

3. É bem sabido que as pirâmides em todo o mundo não foram colocadas apenas aleatoriamente, mas uma série de fatores-chave foram levados em consideração antes de serem erguidas. O complexo de pirâmides da Bósnia não faz exceção, pois sua orientação para os pontos cardeais é extremamente precisa, com todos os quatro cantos apontando nas quatro direções cardeais.



4. Abaixo da densa camada de solo e vegetação, os pesquisadores encontraram blocos sólidos de concreto que constituem o corpo das pirâmides, incluindo notável trabalho em pedra. Varreduras recentes a laser revelaram que essas estruturas eram pirâmides em degraus em tempos remotos, antes de serem cobertas por vegetação.

5. Os investigadores coletaram amostras orgânicas abaixo das seções de concreto para determinar a idade dos monumentos. Os resultados mostraram uma idade impressionante de não menos de 34.000 anos. Isso é mais do que a imaginação de algumas pessoas pode esticar e torna as pirâmides da Bósnia as mais antigas do mundo.

 



6. As escavações levaram a equipe de arqueólogos a uma rede de túneis pré-históricos que se estendem por dezenas de quilômetros abaixo da área de Visoko, formando um verdadeiro labirinto subterrâneo antigo à espera de ser explorado.

 7. Dentro dos túneis, os arqueólogos descobriram “monólitos” artificiais incomuns feitos de cerâmica que foram colocados em pedestais, provando assim que nossos antepassados ​​eram artesãos capazes com uma engenhosidade que ultrapassa nossa lógica e compreensão modernos.

Com todas essas descobertas revolucionárias em mãos, o Dr. Osmanagich e sua equipe estão agora tentando encaixar as peças do quebra-cabeça para elucidar o verdadeiro papel das pirâmides.

Muito progresso foi feito desde a descoberta inicial em 2005 e, embora todos os detalhes mencionados acima mereçam uma descrição mais completa, primeiro me concentrarei no que parece, pelo menos para mim, o maior achado no site até agora.



Estarão as estruturas encontradas na Africa relacionadas aos Anunnaki?


Uma forma de Internet cósmica detetada no complexo das pirâmides da Bósnia

Durante a varredura do perímetro dos monumentos em busca de anomalias, os pesquisadores detetaram algumas ondas incomuns descritas pelo próprio Nikola Tesla. Eles são chamados de ondas escalares, ou ondas estacionárias, e acredita-se que viajem a uma velocidade biliões de tempo (embora este especto seja discutível) mais rápido do que a velocidade da luz.

 Essas ondas não são afetadas pela radiação cósmica ou qualquer outra massa cósmica. Por isso, surgiu a ideia de uma “internet cósmica”, que se refere a uma rede intergaláctica que possibilita a comunicação entre lugares extremamente distantes da galáxia apenas num instante, semelhante ao funcionamento da internet em nosso planeta , mas em um nível maior.



 

Para muitos outros investigadores, entre os quais o mais proeminente é Nikola Tesla, as ondas escalares, ou ondas estacionárias, criadas na interação do campo de torção estão viajando a uma velocidade mais rápida do que a da luz”, disse o Dr. Semir Osmanagich .

 Estima-se que a velocidade seja 10 biliões de vezes mais rápida do que a da luz. Assim, os campos de torção podem se mover através de qualquer corpo cósmico (planeta, sol) sem desperdiçar energia”.

“Isso significa que eles são capazes de viajar em grande velocidade, transferir informações e energia, e que não há perda da quantidade de informação. O ideal é ter em ambas as extremidades dois produtores (geradores) de energia que se comunicam mutuamente através do Campo de Torção de Tesla (ondas). A transferência da informação é quase instantânea entre duas partes distantes do Cosmos, e a informação não perde sua qualidade durante a transferência. “


 

E a partir daqui, o mistério se aprofunda ainda mais. Quando Goran Marianovic, um engenheiro elétrico bósnio chegou ao local em Visoko, ele não sabia o que esperar. Carregado de equipamentos, ele começou a fazer medições em toda a área para ver se conseguia detetar alguma forma de energia.

Ele ficou surpreendido quando seu dispositivo captou um sinal fraco identificado como ondas escalares, também conhecido na doutrina OVNI / conspiração como “energia de ponto zero”, bem no topo da Pirâmide do Sol. A ideia que gira em torno dessas ondas refere-se a elas como um meio de comunicação entre lugares distantes da galáxia.

As ondas escalares são propagadas a partir do centro da galáxia, e essa informação codificada é captada por nosso DNA que age como uma "antena cósmica". ou recetor.

 



Como essa tecnologia é baseada em ondas escalares, que são mais rápidas do que nossos sonhos mais loucos, a informação transmitida chega de um canto da galáxia ao outro em um piscar de olhos, semelhante ao funcionamento da internet, mas em escala planetária.

Mas qual seria a utilidade dessa tecnologia ultra-avançada para nossos ancestrais se eles não tivessem ferramentas para se comunicar, você pode perguntar?

A lacuna entre a história atestada dos “humanos modernos” e a história alternativa e intuitiva se estende por dezenas de milhares de anos. É um desafio lidar com essa enorme lacuna de tempo que une duas formas de sociedades avançadas separadas por milénios de existência.


Nova teoria pode provar que existe vida noutros planetas



Embora nossa cultura apenas ateste a “sociedade moderna” neste extremo da linha, as evidências fornecidas pelo Dr. Sam Osmanagich e vários outros pesquisadores proeminentes revelam uma realidade diferente, onde povos antigos e avançados prosperaram nesta terra na antiguidade.

De acordo com os estudos realizados no local em Visoko, os antigos usavam pirâmides como meio de comunicação intergaláctica. Eles fizeram isso projetando telepaticamente informações nas ondas escalares que eram irradiadas através de enormes tampas de cristal instaladas no topo das pirâmides.

 Acredita-se agora que as pirâmides faziam parte de uma enorme rede de comunicação e que tais monumentos são encontrados em todos os corpos celestes onde espécies avançadas se desenvolveram e evoluíram.



Essa tecnologia desgastada pelo tempo ainda é um mistério para nós, mas está sendo lentamente decifrada com o passar do tempo.

Descobertas revolucionárias, como as do complexo de pirâmides da Bósnia, trazem à tona as realizações dos antigos que se opõem à ideia consensual de habitantes primitivos da Terra que povoavam a Terra antes da última era do gelo. Na verdade, as instituições que ditam nossa história temem as explicações e revisões que teriam de fazer se quisessem colar as peças da história hoje aceitas à realidade de tempos remotos.

Felizmente, estamos livres (por enquanto) para explorar e compreender a rica e complexa herança deixada por nossos antepassados. Se isso trará mudanças em escala global, ainda não descobrimos, mas uma coisa é certa: os anos que virão proporcionarão um enorme salto na compreensão de nosso papel nesta terra e na intrincada condição humana.


Tecnologia “LiDAR” permite a descoberta de uma nova pirâmide maia


Referencia//Anomalien

 

sábado, 17 de julho de 2021

O mistério da Grande Esfinge de Gizé

A Grande Esfinge de Gizé é a maior e mais famosa estátua de monólito do mundo.

Também é a mais antiga. Mas nem sua idade exata nem seus construtores são conhecidos.

O consenso científico é que foi construído pelos antigos egípcios do Império Antigo durante o reinado do faraó Khafra no século 26 aC, mas muitos consideram isso um grande mistério.



esfinge-e-piramides-de-gize-cairo-egito
Photo//Gnosis


Será que os Sumérios, viajaram para o espaço há 7000 anos?



No entanto, existem várias evidências que indicam que a Esfinge pode ser muito mais velha e, portanto, construída por alguém que viveu antes dos egípcios.

Em 1857, Auguste Mariette, o fundador do museu egípcio no Cairo, conseguiu traduzir as inscrições no Inventário da Estela, um monumento de calcário do século 7 aC, tendo detalhado como o faraó Kufu encontrou a Esfinge, que já estava enterrada na areia durante milhares de anos.



De acordo com a Stela, Kufu apenas escavou e restaurou o monumento.

O professor e geólogo da Universidade de Boston, Dr. Robert Schoch, analisou a Esfinge e chegou à conclusão de que os padrões de intemperismo na superfície, não eram resultado do vento, mas de chuvas fortes.

As pirâmides próximas não apresentam tais sinais de erosão, mas foram construídas na mesma data em que se acredita que a Esfinge tenha sido. Isso levou alguns a acreditar que a Esfinge já estava lá muito antes de 2.500 aC, quando o Saara passou a árido, o que decorre nos últimos 5.000 anos.

Uma teoria de apoio sugere que o Nilo corresponde à Via Láctea e as grandes pirâmides às estrelas que compõem a constelação de Orion.



De acordo com essa teoria, a escultura maciça foi orientada para a constelação de Leão como ela apareceu em 10.500 aC. Na verdade, naquela época, o planalto de Gizé era muito mais chuvoso do que há 4.500 anos.

Schoch acredita que o faraó Khafre apenas restaurou a Esfinge para incorporá-la no seu complexo funerário. Ele diz que a cabeça atual não pode ter sido a original porque sua erosão não coincide com a do corpo.

Portanto, se os egípcios não construíram a Esfinge, quem o fez e o que lhes aconteceu?



Tecnologia “LiDAR” permite a descoberta de uma nova pirâmide maia



O mistério da Esfinge aprofunda-se.

De acordo com o misticista Edgar Cayce, foram os atlantes. Debaixo da estrutura, eles deixaram uma sala secreta chamada Hall of Records. Diz-se que esta sala contém o conhecimento e a sabedoria da civilização há muito perdida.

Muitos procuraram essas salas e análises recentes de radar de penetração no solo da área provaram a existência de cavidades por baixo da Esfinge. Eles poderiam muito bem ser quartos escondidos, mas as escavações arqueológicas são oficialmente proibidas.



Alguns sugerem que a sala já foi encontrada e seu conteúdo é estudado por alguns selecionados e mantido em segredo do resto do mundo.

Eles dizem que a verdade seria prejudicial para a ordem mundial atual e a sociedade ainda não está pronta para aceitar o fato de que não somos a primeira civilização tecnologicamente avançada a habitar a Terra.


Oito descobertas inexplicadas da antiguidade



Referencia//Anomalien