Mostrar mensagens com a etiqueta jovens. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta jovens. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Jovens com graves problemas de saúde mental, devido á pandemia

À medida que nos aproximamos do 1º aniversário do dia em que a Organização Mundial da Saúde declarou oficialmente a COVID-19 como uma pandemia, o estado da saúde mental dos jovens está em sérios problemas.

Depois de muitos meses de isolamento, a instabilidade econômica aumentando num mercado de trabalho já sobrecarregado e o stress de se preocupar com a saúde de seus entes queridos, os médicos e investigadores estão relatando uma séria queda no bem-estar psicológico dos jovens, segundo relata o The New York Times. Esses são problemas e desafios que todos enfrentam, é claro, mas os mais jovens parecem ser os mais atingidos.



Jovens-em-isolamento
Photo//HealthNews


Novo scanner pode detetar o SARS-Cov-2 em pessoas e superfícies


Muitos sentem que estão pagando o preço não da pandemia, mas das medidas tomadas contra a pandemia”, disse o Dr. Nicolas Franck, chefe de uma rede psiquiátrica na França, ao NYT.

No início da disseminação do COVID-19, um estudo do CDC fundou que mais de um quarto dos americanos com idades entre 18 e 24 anos havia pensado em suicídio durante a pandemia.

Estamos no meio de uma pandemia de saúde mental e não acho que esteja a ser tratada com os devidos cuidados”, disse o psicoterapeuta londrino Arkadius Kyllendahl ao NYT. Kyllendal acrescentou que têm agora o dobro de clientes mais jovens do que o normal nos últimos meses.



O problema é tão grave que alguns terapeutas aconselharam seus pacientes a interromper a quarentena ou se socializar, ou até mesmo instaram os funcionários a reabrir escolas. Todos são imprudentes do ponto de vista da saúde pública, mas sua lógica parece ser que estes são tempos de desespero.

Para aqueles que dizem que, afinal, esses são desafios que os jovens têm que enfrentar, e que sairão mais fortes, fica o alerta, isso só vale para alguns que têm mais recursos”, disse o Dr. Stefano Vicari, diretor de neuropsiquiatria infantil no Hospital Infantil Bambino Gesù de Roma, ao NYT.



É uma tendência preocupante sem uma resposta clara, especialmente porque as coisas que podem ajudar as pessoas a lidar com a situação são as mesmas que as colocam em risco de contrair o coronavírus. Mas, esperançosamente, à medida que mais funcionários e especialistas forem forçados a ter consciência do problema, podemos começar a ver mais opções e linhas de vida disponíveis.



Cerca de 100 crianças hospitalizadas por semana no Reino Unido, com doença rara pós-Covid



Jovens com graves problemas de saúde mental, devido á pandemia

À medida que nos aproximamos do 1º aniversário do dia em que a Organização Mundial da Saúde declarou oficialmente a COVID-19 como uma pandemia, o estado da saúde mental dos jovens está em sérios problemas.

Depois de muitos meses de isolamento, a instabilidade econômica aumentando num mercado de trabalho já sobrecarregado e o stress de se preocupar com a saúde de seus entes queridos, os médicos e investigadores estão relatando uma séria queda no bem-estar psicológico dos jovens, segundo relata o The New York Times. Esses são problemas e desafios que todos enfrentam, é claro, mas os mais jovens parecem ser os mais atingidos.



Jovens-em-isolamento
Photo//HealthNews


Novo scanner pode detetar o SARS-Cov-2 em pessoas e superfícies


Muitos sentem que estão pagando o preço não da pandemia, mas das medidas tomadas contra a pandemia”, disse o Dr. Nicolas Franck, chefe de uma rede psiquiátrica na França, ao NYT.

No início da disseminação do COVID-19, um estudo do CDC fundou que mais de um quarto dos americanos com idades entre 18 e 24 anos havia pensado em suicídio durante a pandemia.

Estamos no meio de uma pandemia de saúde mental e não acho que esteja a ser tratada com os devidos cuidados”, disse o psicoterapeuta londrino Arkadius Kyllendahl ao NYT. Kyllendal acrescentou que têm agora o dobro de clientes mais jovens do que o normal nos últimos meses.



O problema é tão grave que alguns terapeutas aconselharam seus pacientes a interromper a quarentena ou se socializar, ou até mesmo instaram os funcionários a reabrir escolas. Todos são imprudentes do ponto de vista da saúde pública, mas sua lógica parece ser que estes são tempos de desespero.

Para aqueles que dizem que, afinal, esses são desafios que os jovens têm que enfrentar, e que sairão mais fortes, fica o alerta, isso só vale para alguns que têm mais recursos”, disse o Dr. Stefano Vicari, diretor de neuropsiquiatria infantil no Hospital Infantil Bambino Gesù de Roma, ao NYT.



É uma tendência preocupante sem uma resposta clara, especialmente porque as coisas que podem ajudar as pessoas a lidar com a situação são as mesmas que as colocam em risco de contrair o coronavírus. Mas, esperançosamente, à medida que mais funcionários e especialistas forem forçados a ter consciência do problema, podemos começar a ver mais opções e linhas de vida disponíveis.



Cerca de 100 crianças hospitalizadas por semana no Reino Unido, com doença rara pós-Covid