Mostrar mensagens com a etiqueta atividade vulcanica. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta atividade vulcanica. Mostrar todas as mensagens

sábado, 23 de outubro de 2021

Edgar Cayce previu inversão dos polos causada pelo Cumbre Vieja e pelo o Aso

Um mês depois do vulcão Cumbre Vieja entrar em erupção na ilha de La Palma, expelindo lava e cinzas em brasa, não há indícios que vai acabar. Bem pelo contrário, já são cinco bocas e dois fluxos, que destroem tudo no caminho. Não é só mais um espetáculo vulcânico mas também uma nuvem ameaçadora de dióxido que se espalha por toda a Europa.

 

Mas agora temos que adicionar á erupção do Cumbre Vieja a do vulcão Monte Aso, localizado na ilha de Kyūshū, no Japão. As autoridades informaram que o vulcão começou a cuspir cinzas a 3.500 metros de altura e até o momento não houve danos ou vítimas. No entanto, essa nova atividade sísmica no outro lado do mundo nos faz pensar se existe algum tipo de relação que não conhecemos. Bem, a resposta foi dada pelo médium americano Edgar Cayc, antes de sua morte.




Cumbre-vieja
Photo//Multinews


Geoengenharia, a modificação do clima e os seus perigos



Catástrofe planetária iminente

Na noite de 20 de outubro de 2021, teve início a erupção de um dos maiores vulcões do mundo, o vulcão Aso. Ele está localizado na ilha de Kyūshū, no sudoeste do Japão. A coluna de fumaça e cinzas atingiu uma altitude de 3.500 metros. A expulsão de pedras vulcânicas foi registada a uma distância de um quilómetro e os meteorologistas alertam para o perigo de lançamento de rochas e fluxos piroclásticos até dois quilómetros.



O nível de perigo também foi elevado para o terceiro de cinco possíveis, o que significa a proibição de se aproximar e escalar a montanha. O vulcão Aso é conhecido por pertencer a uma cadeia vulcânica, onde uma das mais ativas é Nakadake. Durante a erupção de 1953, 90 pessoas ficaram feridas. Em 1958, a erupção matou 12 pessoas e, em 1979, durante outra erupção explosiva, 3 pessoas morreram. A largura máxima da ilha de Kyūshū é de 200 quilómetros, enquanto o diâmetro médio do manto é geralmente de 500 quilómetros. Portanto, podemos pensar com segurança que a ilha parece estar saltando sobre uma lenta fonte de lava e todos os vulcões ali são alimentados por uma coluna, em particular, alimentando a caldeira de Aira.

Formalmente, eles são como duas caldeiras separadas de aproximadamente o mesmo tamanho, mas situadas no mesmo manto, que em momentos diferentes criaram duas aberturas diferentes na ilha. Além disso, aa erupções na ilha de Kyūshū  a de La Palma, e Yellowstone, poderiam estar de alguma forma incompreensivelmente conectadas.



Como resultado do acima, estamos falando agora sobre a ativação de algum sistema de manto gigantesco. E isso causaria um grande terremoto ou mesmo uma erupção vulcânica em algum lugar dos Estados Unidos, já que a Coluna de Yellowstone começa em algum lugar do Oceano Atlântico. Portanto, a intensificação da atividade vulcânica na região de Aira pode indicar o fato de o mundo já ter entrado no período da Mudança dos Polos, prevista por Edgar Cayce, o chamado profeta adormecido. Ele não mencionou a sequência exata das catástrofes, no entanto, Japão, Itália e Ilhas Canárias aparecem em todas as opções. Cayce acreditava que uma mudança repentina no clima levaria ao desaparecimento das cidades.



"Samambaias crescerão em todos os lugares ", disse Cayce. “Águas abertas estão aparecendo na parte norte da Groenlândia e haverá mais terras no Caribe. A maior parte do Japão desaparecerá e a Europa será completamente transformada. "







Não apenas o polo magnético está mudando, ele está de deslocando imprevisivelmente. Por exemplo, em 2016, a agitação do líquido derretido sob o norte da América do Sul e o leste do Oceano Pacífico acelerou. O satélite da Agência Espacial Europeia chamado "Swarm" registou o evento. Aconteceu sem motivo conhecido. Cayce indicou em muitas de suas visões que as atitudes e emoções entre os "Filhos de Deus" que habitam o planeta realmente afetam as vibrações da Terra. Portanto, parte da culpa pelo que está acontecendo seria exclusivamente nossa.

Devido à mudança dos pólios, a Terra tem maior probabilidade de sofrer desastres naturais, como terremotos, inundações e erupções vulcânicas. Além disso, os cientistas acreditam que os eixos da Terra já tiveram inversões no passado. Graças a eles, toda a Terra poderia mergulhar numa longa era do gelo.


Subida do nível do mar, o pior cenário de mudança climática


Referencia//Mundoesotericoparanormalo-polos-tierra/

sábado, 9 de outubro de 2021

Novo rio de lava aumenta a destruição em La Palma

Um novo rio de lava foi expelido este sábado do vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, espalhando mais destruição nesta ilha do Oceano Atlântico, onde mais de 1.000 edifícios já foram engolfados ou seriamente danificados por correntes de rocha derretida.

O colapso parcial do cone vulcânico durante a noite deu origem a um novo fluxo de lava que começou a seguir um caminho semelhante descendo a cordilheira Cumbre Vieja em direção à costa oeste da ilha até o oceano.

Vulcao
Photo//Daniel Roca




Vulcão arremessa lava a mais de um quilómetro de altura



As autoridades disseram que o novo fluxo de lava está dentro da área que foi evacuada após a erupção de 19 de setembro, quando 6.000 residentes foram forçados a abandonar as suas casas e fazendas.



A polícia permitiu que moradores cujas casas poderiam estar em perigo fizessem viagens para salvar o que pudessem. Os caminhões entraram vazios na zona de exclusão no sábado e saíram com colchões, móveis e outros pertences.

O oficial de emergência Miguel Ángel Morcuende disse que os especialistas estão observando de perto o delta de novas terras que está se formando na costa da ilha desde que o principal fluxo de lava atingiu o mar na semana passada. Ele disse que partes dele podem desabar, causando explosões e grandes ondas, mas isso não representa perigo, uma vez que a área  já foi evacuada.



 

Um total de 1.186 edifícios foram destruídos em La Palma e 497 hectares foram cobertos com lava, de acordo com o Serviço de Gerenciamento de Emergências Copernicus da União Europeia.



O aeroporto de La Palma voltou a funcionar depois de ficar vários dias encerrado devido às cinzas vulcânicas. A ilha faz parte das Ilhas Canárias da Espanha, um arquipélago ao largo do noroeste da África que é um destino de férias popular para turistas europeus.


Erupção eminente do Vulcão Cumbre Vieja, nas Canárias, preocupa costas atlânticas


Referencia//Phys




terça-feira, 21 de setembro de 2021

Vulcão arremessa lava a mais de um quilómetro de altura

O vulcão Cumbre Vieja, há muito adormecido na ilha de La Palma, entrou em erupção numa poderosa explosão que ainda ameaça as comunidades locais.

No domingo, uma poderosa erupção vulcânica abalou a pequena ilha de La Palma, lançando lava a 1.500 metros de altura, o dobro do arranha-céus mais alto do mundo.


Cumbre-vieja
Photo//Correio Braziliense


Erupção eminente do Vulcão Cumbre Vieja, nas Canárias, preocupa costas atlânticas


Após 50 anos de inatividade, além de estrondos ocasionais,o vulcão Cumbre Vieja abriu várias crateras em pontos diferentes ao mesmo tempo,segundo relatórios da National Geographic . Imagens dramáticas da erupção mostram lava fluindo pela pequena ilha das Canárias, engolindo casas inteiras e piscinas num evento terrivelmente destrutivo que levou à evacuação de cerca de 4.500 residentes e 500 turistas até agora.



Embora já tenham-se passado décadas desde a última erupção do Cumbre Vieja, não é surpreendente que La Palma tenha sido devastada por atividades vulcânicas. A ilha inteira primeiro se ergueu do mar ao lado das outras Ilhas Canárias, graças a um ponto vulcânico sob a crosta terrestre, de acordo com NatGeo , então a atividade vulcânica é fundamental para a história da ilha.

2 dias após o início da erupção, o fluxo de lava é implacável, relata NatGeo , e os especialistas não sabem o que esperar. Historicamente, as erupções em La Palma demoram algumas semanas ou vários meses para parar. E apesar dos esforços dos cientistas para monitorizar o vulcão, atualmente é impossível prever quando essa nova erupção acabará.



A única maneira de saber é saber o volume total de magma erupcionável sob Cumbre Vieja”, disse o vulcanologista Pablo J. González do Conselho Nacional de Pesquisa da Espanha ao NatGeo . “Essa informação é desconhecida”.


Crise humanitária cresce devido á erupção do vulcão La Soufrière



Referencia//Futurism

sábado, 18 de setembro de 2021

Erupção eminente do Vulcão Cumbre Vieja, nas Canárias, preocupa costas atlânticas

O vulcão Cumbre Vieja, localizado no arquipélago espanhol das Ilhas Canárias, pode entrar em erupção nos próximos dias e provocar um tsunami que atingiria toda a costa atlântica. A última vez que houve atividade vulcânica na região foi em 1971.

Houve mais de 400 tremores de terra perto do vulcão, e, com mais magma, o pico subiu 6 centímetros em dias.



Vulcão-Cumbre-vieja
Photo//Multinews.Sapo


Crise humanitária cresce devido á erupção do vulcão La Soufrière



Devido á sua localização, atividades sísmicas mais intensas poderiam, na pior das hipóteses, causar tsunamis nas costas banhadas pelo Atlântico.

Um trabalho realizado pelo curso de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) aponta que o vulcão Cumbre Vieja possa produzir um grande tsunami que afetaria todo o litoral da américa oriental assim como o africano e europeu..



A mesma pesquisa, realizada em 2017, estima que a próxima erupção do vulcão pode desestabilizar a encosta da ilha de La Palma provocando um deslizamento de vários biliões de toneladas de terra e pedra que poderia causar um maremoto que atingiria todos os territórios banhados pelo Oceano.

Segundo o governo das Canárias, o comitê de monitorização deve permanecer no nível amarelo devido ao aumento, nos últimos dias, da atividade sísmica em pontos a 6 e 8 quilómetros de profundidade, além de tremores mais superficiais.


Vulcão-Cumbre-vieja-
          Atividade sísmica que ocorre na ilha de La Palma


A erupção do vulcão Kilauea, no Havaí, cria um lago de lava com 180 metros de profundidade



O governo das Ilhas Canárias não descarta que a população sinta terramotos de maior intensidade, mas essa ainda não é uma realidade.

O nível amarelo é o segundo na escala de quatro estágios de atenção: o verde indica normalidade e estabilidade; o amarelo exige uma atenção às comunicações oficiais de monitorização.



Já o laranja indica o início de uma evacuação preventiva na região, e o vermelho é o nível máximo de urgência, com evacuação imediata da área.

Porém, a ocorrência de tsunamis causados pelo vulcão das Canárias seria um evento considerado extremamente raro, mas possível.



Vulcão sul-americano mostra sinais de provável colapso



Referencia//CNN

domingo, 12 de abril de 2020

Vulcão inativo há 800 anos na Islândia pode provocar catástrofe

Não há erupções vulcânicas em Reykjanes, na Islândia, desde o séc. XIII. Mas a ocorrência desde janeiro de 8.000 pequenos sismos e a elevação da terra em 10 cm causada por magma no subsolo indicia regresso da atividade.



Islandia
Photo//Promote Iceland

Astrónomos resolvem o “mau pressagio” japonês de 1400 anos.

O aumento de atividade vulcânica na península de Reykjanes, localizada na Islândia e Patrimônio da UNESCO, poderia potencialmente vir a causar perturbações durante mais de 300 anos, alertaram os cientistas, segundo informou o The Guardian.
Sigridur Magnea Oskarsdottir, especialista em riscos naturais no Escritório Meteorológico Islandês (IMO, na sigla em inglês), afirmou ao jornal ser anormal a atual atividade vulcânica.
"Houve erupções na península de Reykjanes há 800 anos, mas neste momento o que estamos vivendo é muito invulgar", disse Sigridur.
Se ocorrer atividade vulcânica, a península poderia ser confrontada com episódios eruptivos localmente conhecidos como "fogos", criando fissuras de até oito km de comprimento na terra que iriam expelir lava. Esses "fogos" poderiam cobrir grandes áreas de terra com lava, como aconteceu entre 1210 e 1240, quando uma área de cerca de 50 quilômetros quadrados foi afetada.

A camada de ozono está recuperando, já se notam as alteraçoes


A possibilidade de novas erupções coloca a cidade vizinha de Grindavik em grave perigo, uma vez que existe uma central geotérmica localizada na zona.
"O pior cenário possível é se a lava fluir para a cidade de Grindavik", alertou por sua vez Kristin Jonsdottir, especialista do IMO, citada pelo The Guardian.
Dave McGarvie, vulcanologista da Universidade de Lancaster, no Reino Unido, opinou ao jornal que, a terem lugar as erupções, o aeroporto internacional e a área metropolitana da capital da Islândia, Reiquiavique poderiam ser afetados.

Reiquiavique situa-se nas imediações da península e a 50 km de Grindavik.
"A direção do vento durante os períodos de produção de cinzas é crucial, pois se se encaminhar para norte, mesmo de forma ligeira, poderia causar problemas ao aeroporto internacional e à área metropolitana de Reiquiavique", alertou McGarvie.
Vale recordar que a mais recente erupção vulcânica na Islândia foi em 2010, quando o vulcão Eyjafjallajokull lançou uma enorme nuvem de cinzas sobre grande parte da Europa, perturbando as viagens aéreas internacionais durante um grande período de tempo.

Novas evidências mostram como o COVID-19 reduziu a poluição atmosférica global


Referencia//The Guardian


Vulcão inativo há 800 anos na Islândia pode provocar catástrofe

Não há erupções vulcânicas em Reykjanes, na Islândia, desde o séc. XIII. Mas a ocorrência desde janeiro de 8.000 pequenos sismos e a elevação da terra em 10 cm causada por magma no subsolo indicia regresso da atividade.



Islandia
Photo//Promote Iceland

Astrónomos resolvem o “mau pressagio” japonês de 1400 anos.

O aumento de atividade vulcânica na península de Reykjanes, localizada na Islândia e Patrimônio da UNESCO, poderia potencialmente vir a causar perturbações durante mais de 300 anos, alertaram os cientistas, segundo informou o The Guardian.
Sigridur Magnea Oskarsdottir, especialista em riscos naturais no Escritório Meteorológico Islandês (IMO, na sigla em inglês), afirmou ao jornal ser anormal a atual atividade vulcânica.
"Houve erupções na península de Reykjanes há 800 anos, mas neste momento o que estamos vivendo é muito invulgar", disse Sigridur.
Se ocorrer atividade vulcânica, a península poderia ser confrontada com episódios eruptivos localmente conhecidos como "fogos", criando fissuras de até oito km de comprimento na terra que iriam expelir lava. Esses "fogos" poderiam cobrir grandes áreas de terra com lava, como aconteceu entre 1210 e 1240, quando uma área de cerca de 50 quilômetros quadrados foi afetada.

A camada de ozono está recuperando, já se notam as alteraçoes


A possibilidade de novas erupções coloca a cidade vizinha de Grindavik em grave perigo, uma vez que existe uma central geotérmica localizada na zona.
"O pior cenário possível é se a lava fluir para a cidade de Grindavik", alertou por sua vez Kristin Jonsdottir, especialista do IMO, citada pelo The Guardian.
Dave McGarvie, vulcanologista da Universidade de Lancaster, no Reino Unido, opinou ao jornal que, a terem lugar as erupções, o aeroporto internacional e a área metropolitana da capital da Islândia, Reiquiavique poderiam ser afetados.

Reiquiavique situa-se nas imediações da península e a 50 km de Grindavik.
"A direção do vento durante os períodos de produção de cinzas é crucial, pois se se encaminhar para norte, mesmo de forma ligeira, poderia causar problemas ao aeroporto internacional e à área metropolitana de Reiquiavique", alertou McGarvie.
Vale recordar que a mais recente erupção vulcânica na Islândia foi em 2010, quando o vulcão Eyjafjallajokull lançou uma enorme nuvem de cinzas sobre grande parte da Europa, perturbando as viagens aéreas internacionais durante um grande período de tempo.

Novas evidências mostram como o COVID-19 reduziu a poluição atmosférica global


Referencia//The Guardian