Mostrar mensagens com a etiqueta Pandemia pode durar dois anos. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Pandemia pode durar dois anos. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 28 de julho de 2020

Cientistas testam o tipo de proteçao que o uso das mascaras nos fornece

Se não tem certeza se vale a pena usar uma máscara facial ou precisa usar uma máscara, mas não sabe qual tipo, esta nova pesquisa deve ajudá-lo a decidir.
Foram feitos vídeos do que acontece quando alguém fala, tosse e espirra em diferentes cenários, sem usar uma máscara, usando dois tipos diferentes de máscaras de pano ou usando uma máscara cirúrgica.


Mascaras

OMS adverte que o pior da pandemia de Covid-19 pode estar para vir


Os resultados, publicados na revista Thorax , são claros.
A máscara cirúrgica foi a mais eficaz para impedir que gotículas e aerossóis passassem quando as pessoas falaram, tossiram e espirram. Mas se não conseguir se uma, uma máscara de pano é a próxima melhor coisa e, quanto mais camadas, melhor. Alguém pode estar infetado com o Covid-19, mas não mostra sintomas. Portanto, não se pode identificar a pessoa infetada apenas olhando para ela. E podemos estar infetados sem saber.
Por isso, foi comparada a eficácia dos diferentes tipos de máscaras na prevenção da transmissão externa de gotículas enquanto conversamos, tossimos e espirramos. Esses são os tipos de máscaras que o público pode usar para reduzir a transmissão da comunidade. Comparamos o uso de nenhuma máscara com dois tipos diferentes de máscaras de pano feitas com modelos de bricolage, (uma máscara tinha uma única camada de pano, a outra tinha duas camadas) e uma máscara cirúrgica de três camadas.





Para visualizar as gotículas e aerossóis que você pode não ver, foi usado um sistema de iluminação LED com uma câmara de alta velocidade. Ficou confirmado que mesmo falar gera gotas substanciais. Tossir e espirrar gera ainda mais. Uma máscara cirúrgica de três camadas teve significativamente melhor desempenho do que uma máscara de tecido de uma camada para reduzir as emissões de gotículas causadas pela fala, tosse e espirros, seguida por uma de tecido de dupla camada.
Uma marcara de tecido de camada única também reduziu a propagação de gotículas causada por falar, tossir e espirrar, mas não era tão boa quanto uma máscara de tecido de duas camadas ou uma máscara cirúrgica. Não se sabe como isso se traduz em risco de infeção, o que dependerá de quantas pessoas infetadas assintomáticas ou levemente sintomáticas existem. No entanto, mostra que uma camada única não é uma barreira tão boa quanto uma camada dupla.

Luz do sol e álcool podem 'matar' COVID-19 em segundos, afirma alto responsável dos EUA


O que isto significa?

Com o uso obrigatório de máscaras, podemos enfrentar falta de máscaras cirúrgicas. Portanto, é importante entender os princípios de design das máscaras de pano. Se as mesmas tiverem no seu interior uma ou duas camadas de filtro em TNT, então o seu desempenho é bem melhor. Por exemplo, uma máscara de tecido de 12 camadas é tão protetora como uma máscara cirúrgica e reduz o risco de infeção em 67%. É difícil costurar 12 camadas de tecido. Mas existem algumas etapas a serem tomadas para tornar as máscaras de pano mais eficazes.



Aumentar o número de camadas (pelo menos três camadas)
Use um tecido resistente à água para a camada externa
Escolha um tecido com uma alta contagem de linhas (portanto, um tecido mais apertado, por exemplo, a partir de uma folha de boa qualidade é geralmente melhor do que um tecido com um tecido mais solto pelo qual você possa ver claramente a luz)
Tecidos híbridos, como algodão-seda, algodão-chiffon ou algodão-flanela, podem ser boas escolhas, pois oferecem melhor filtragem e são mais confortáveis ​​de usar
Verifique se a sua máscara se encaixa e sela bem ao seu rosto
Lave sua máscara diariamente após usá-la.

A evidência está aumentando

Na prática, ainda não sabemos o que tem um efeito maior, usar máscaras para impedir que as pessoas infetadas espalhem para outras pessoas ou proteger as pessoas boas da inalação de  partículas infetadas. Provavelmente ambos são igualmente importantes.
No Missouri, dois cabeleireiros infetados continuaram trabalhando, mas usavam uma mistura de roupas e máscaras cirúrgicas, assim como seus 139 clientes. Nenhum cliente foi infetado .
No entanto, uma cabeleireira infectou os membros de sua família, pois ela não usava máscara em casa e sua família também não.
Esta é uma evidência tranquilizadora de que o risco de infeção é reduzido quando todos usam máscaras.

Pânico com coronavírus pode ser pior do que a própria doença


Referencia//ScienceAlert

quinta-feira, 14 de maio de 2020

A Covid-19 não é apenas uma doença respiratória


Médicos que tratam pacientes com Covid-19 afirmaram recentemente que a doença não atinge apenas o sistema respiratório.
Uma variada quantidade de outras síndromes já foram documentadas em pessoas infetadas com Sars-CoV-2, incluindo coágulos sanguíneos, insuficiência renal, inflamação do coração e complicações imunológicas, de forma que os especialistas estão convencidos de que a doença afeta o corpo todo.


Covid-19
Photo//Shutterstock

Encontrado outro vírus em morcegos intimamente relacionado à SARS-CoV-2


Uma coisa que é ao mesmo tempo curiosa, evolutiva e frustrante é que esta doença se manifesta de muitas maneiras diferentes”, disse o Dr. Scott Brakenridge, professor da equipa de cirurgia da Universidade da Flórida (EUA).

Casos estranhos



A Covid-19 é uma doença causada por um coronavírus, designado como um vírus respiratório. Os mais clássicos e óbvios sintomas da infeção são de fato respiratórios, febre, pneumonia e síndrome respiratória aguda grave.
Dito isto, em alguns casos a Covid-19 tem mostrado outros efeitos graves que vão além do sistema respiratório, incluindo falência múltipla de órgãos e reações imunes.
Um dos sintomas mais estranhos e preocupantes até agora afeta os vasos sanguíneos, o que pode causar coágulos.
Por exemplo, nos EUA, um paciente de 38 anos infetado com Covid-19 passou dez dias em bom estado, até que teve, de repente, uma oclusão aórtica (um coágulo sanguíneo grande que se forma na principal artéria do corpo). A condição é perigosa e mata cerca de 20 a 50% dos pacientes atingidos. Graças a um rápido diagnóstico e um procedimento cirúrgico subsequente, o paciente sobreviveu.
De acordo com o Dr. Sean Wengerter, cirurgião vascular em Pomona, New York (EUA), parece que o vírus da Covid-19 cria “uma resposta inflamatória local que leva a alguns desses eventos trombóticos”. “Isso acontece devido à ação direta do vírus nas próprias artérias”, argumenta.


Coágulos no corpo todo


Outras equipas já relataram derrames pouco comunc em pacientes mais jovens, além de embolias pulmonares, que são coágulos sanguíneos nos pulmões.
Segundo o Dr. Oren Friedman, que atende pacientes de Covid-19 no Cedars-Sinai Medical Center em Los Angeles (EUA), coágulos sanguíneos minúsculos estão sendo encontrados nos menores vasos sanguíneos.
Não há duvidas,o vírus parece afetar diretamente os vasos sanguíneos”, disse à CNN.
Isso significa que afeta todo o corpo, uma vez que cada órgão que possuímos é alimentado por vasos sanguíneos e está em risco de falência.


Enorme quantidade de mutações no coronavírus intriga cientistas

O perigo para crianças


Outro sintoma bizarro preocupante ligado à Covid-19 é chamado de “síndrome inflamatória multissistémica pediátrica”. Foram identificados 52 casos, e mais 100 estão sendo investigados, na cidade de New York (EUA).
Essa síndrome é caracterizada por febre persistente, inflamação, mau funcionamento de um ou mais órgãos e sintomas que se parecem com choque.
Em alguns casos, as crianças apresentam choque ou características da doença de Kawasaki, enquanto outras podem apresentar sinais de cascata de citocina”, afirmou a Dra. Mary Beth Son, reumatologista do Hospital Infantil de Boston (EUA).
A doença de Kawasaki envolve inflamação nas paredes das artérias de tamanho médio e pode danificar o coração. Já a cascata de citocina é uma reação imune potencialmente fatal que consiste em um ciclo positivo de retroalimentação entre citocinas e glóbulos brancos.
É até possível que os anticorpos que as crianças estejam produzindo contra o Sars-CoV-2 estejam criando uma reação imune no organismo. Ninguém sabe”, opinou a Dra. Jane Newburger, cardiologista de Boston e especialista em doença de Kawasaki.
É importante observar que a cascata de citocina também atinge alguns adultos. A reação imune pode causar danos ao pulmão e coágulos sanguíneos invulgares nestes pacientes.

Supressão do sistema imunológico



Segundo o Dr. Brakenridge, existem evidências de que o vírus não gera uma forte resposta imune e, ao contrário disso, suprime o sistema imunológico, o que permitiria que atacasse mais diretamente os órgãos.
Um estudo conduzido por médicos do Shenzhen Third People’s Hospital, na China, publicado na revista científica Nature Medicine, apoiou parcialmente esta hipótese.
O Dr. Zheng Zhang e seus colegas analisaram amostras de células imunes retiradas do pulmão de nove pacientes com Covid-19 e descobriram níveis anormalmente altos de células imunes chamadas de macrófagos e neutrófilos, bem como produtos químicos de sinalização imunológica chamados de citocinas e quimiocinas, além de altos níveis de células T, outro tipo de célula imune, nos pacientes mais graves.
Curiosamente, os pacientes com os sintomas mais graves da doença, tinham um número mais baixo de células T, chamadas de CD8, que matam diretamente as células infetadas pelo vírus.
Ou seja, provavelmente existem muitas coisas que ainda não entendemos sobre esta nova condição desafiadora.

Efeitos colaterais bizarros, mas inofensivos


Fora os sintomas invulgares mais preocupantes da Covid-19, um efeito bizarro, porém inofensivo, tem sido observado em alguns pacientes, vermelhão nos dedos dos pés. Alguns podem ter manchas roxas, também.
Os médicos acreditam que pequenos coágulos sanguíneos associados ao Covid-19 estejam causando esses inchaços ou lesões avermelhadas, mas elas não estão associadas a nenhum sintoma grave, de acordo com o pneumologista da Humberto Choi, da Cleveland Clinic (EUA).




Referencia//Hypescience