quinta-feira, 4 de agosto de 2022

Cientistas japoneses previram a sexta extinção em massa

A próxima sexta extinção em massa na Terra não será tão catastrófica quanto as cinco anteriores, disseram cientistas climáticos da Universidade de Tohoku, no Japão.

A situação permanecerá relativamente estável por mais algumas centenas de anos, de acordo com a Biogeosciences.

 


Sexta-extinção
Photo //GZH

O que aconteceria á humanidade depois de uma guerra nuclear


Sabe-se que nos últimos 540 milhões de anos ocorreram várias extinções em massa, quando a maioria das espécies desapareceu num curto período de tempo (pelos padrões geológicos). Via de regra, tais eventos foram precedidos por mudanças climáticas globais.

 

Os autores do estudo descobriram que quanto mais a temperatura média do planeta mudava, mais catastrófica a extinção se tornava. Assim, muitas espécies desapareceram após um arrefecimento global de 7 graus Celsius. Quanto ao aquecimento, os cientistas determinaram que os efeitos irreversíveis começam depois que a temperatura média aumenta 9 graus.

 

Há 13% de possibilidade da humanidade acabar no século 21


Estudos anteriores mostraram que o “ponto sem retorno” será ultrapassado com um aquecimento de 5,2 graus. A previsão dos cientistas japoneses é mais otimista.

 

O aquecimento global de 9 C não ocorrerá no Antropoceno até pelo menos 2500 no pior cenário”, observaram os autores.

 

Os cientistas explicaram que certas mudanças associadas ao aquecimento já estão ocorrendo. Mas as consequências do aumento das temperaturas, dizem eles, não serão tão devastadoras quanto se pensava anteriormente.

Cientistas descobriram evidencias de que um dilúvio que se aproxima

A humanidade está condenada, afirmam os cientistas


Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário