quarta-feira, 1 de junho de 2022

Encontrada caverna na China com floresta antiga e árvores com 40 metros

A quase 200 metros debaixo da terra, um ecossistema conseguiu se desenvolver e atingir 5 milhões de metros cúbicos

Cientistas encontraram na China uma floresta subterrânea gigantesca dentro de uma montanha. O ecossistema impressionante está situado em um sumidouro de 306 metros de comprimento, 150 metros de largura e 192 metros de profundidade. Segundo os investigadores, existem três entradas diferentes para a caverna e as árvores antigas alcançam praticamente os 40 metros de altura.

 

floresta-antiga-e-árvores-com-40-metros
Photo//Song Wen/XINHUA


No centro da Terra há um buraco negro que fornece energia a naves extraterrestres


Paisagem cárstica

Os engenheiros do Instituto de Geologia Karst afirmaram que o buraco na montanha ultrapassa 5 milhões de metros cúbicos, por isso está incluído na categoria de grande sumidouro, e que uma floresta primitiva perfeitamente preservada, ali cresce. Esses tipos de cavernas, segundo os especialistas, são conhecidas com o nome de paisagem cárstica e representam um tipo de geografia bastante comum na região autônoma de Guangxi Zhuang, nas proximidades da vila de Ping’e, no município de Leye.


 

Floresta subterrânea

Esses sumidouros gigantes, que na China são popularmente conhecidos como Tiankengs (poços celestiais), são tecnicamente poços gigantes caracterizados geologicamente por surgirem como resultado de deslizamentos de terra em regiões cársticas. Esse tipo de formação também é encontrado em diferentes regiões do mundo, como o México e Papua Nova Guiné. George Veni, do Instituto Nacional de Pesquisa de Covas e Karst (NCKRI), nos Estados Unidos, explicou que no sul da China a topografia é propensa à formação de grandes sumidouros e cavernas com paisagens que parecem nascidas em outro mundo.

 

Navios da Segunda Guerra Mundial emergem das profundezas



A formação das paisagens cársticas dá-se principalmente pela dissolução do leito rochoso, especialmente pela passagem de água da chuva, que é mais ácida e capta dióxido de carbono durante sua passagem pelo solo, o que aumenta sua acidez. Com o passar do tempo, a água goteja, se precipita e finalmente flui através das rachaduras do leito rochoso, ampliando-as gradativamente até que se tornem túneis completamente vazios. Se a câmara formada dentro de uma caverna alcança as dimensões suficientes, o teto colapsa pouco a pouco até formar enormes sumidouros, como o da caverna descoberta, muitos dos quais formam regiões hoje protegidas pela UNESCO como património mundial da humanidade.



.




Antigo manuscrito Hindu revela viagens interplanetárias há 7000 anos


Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário