domingo, 8 de maio de 2022

França dá luz verde a soldados ciborgues

O que vemos em vários filmes de ficção, como Robocop, não parece estar longe da realidade, pois segundo um relatório do Ministério da Defesa francês, o governo planeia criar soldados ciborgue.

Os franceses estão prontos para mudar o estabelecimento das forças armadas após a conclusão da pesquisa sobre o desenvolvimento de soldados reforçados! Um relatório do Ministério da Defesa francês revelou tudo e principalmente as intenções dos franceses de criar soldados ciborgues.


Ciborgue
Photo//Quarta parede POP


Será mesmo que houve civilizações muito avançadas antes de nós


Na verdade, determina as condições em que esse trabalho deve ser realizado com implantes e outras tecnologias, que visam melhorar o desempenho no campo de batalha.

Em declarações anteriores, a secretária de Defesa, Florence Parly, havia deixado claro que a França não tinha planos imediatos de desenvolver tecnologia “invasiva” para soldados.

O Ministério da Defesa francês indicou no passado que a biônica promissora melhoraria as “habilidades físicas, cognitivas e psicológicas” dos soldados. Além disso, poderiam ser desenvolvidos “medicamentos para prevenir a dor, estresse e fadiga, bem como substâncias que melhorarão a estabilidade mental se um soldado for capturado



No entanto, o relatório atual enfatiza que outras nações estão explorando tais possibilidades, e que a França é chamada de maneira a não ficar atrás na criação de super militares.

Mas temos que encarar os fatos”, acrescentou. “Nem todos compartilham nossos princípios, e devemos estar preparados para o que nos espera no futuro.”

 Ela disse que “devem ser explorados caminhos para manter nossa superioridade operacional sem virar as costas aos nossos valores”. “Os seres humanos há muito procuram maneiras de melhorar suas habilidades físicas ou cognitivas para lutar”, alertou. “Possíveis desenvolvimentos podem eventualmente levar a um aumento das capacidades do corpo de soldados.”

 


O relatório citou pesquisas sobre implantes que poderiam “melhorar a capacidade mental” ou ajudar os soldados a distinguir entre inimigo e aliado. Eles também podem permitir que os comandantes os localizem ou conheçam seus pontos vitais remotamente. Definindo linhas éticas claras, o documento observou que as práticas eugênicas ou genéticas devem ser proibidas, bem como qualquer coisa “que possa comprometer a integração de um soldado na sociedade ou seu retorno à vida como cidadão”.

No seu discurso, a Sra. Parly observou que o trabalho em implantes de nervos humanos está progredindo rapidamente no setor privado. Este ano, o fundador da Tesla, Elon Musk, revelou uma porca chamada “Gertrude” com um chip de computador do tamanho de uma moeda no seu cérebro para mostrar seus planos ambiciosos de criar uma interface cérebro-máquina funcional.



Quatro das piores catástrofes a que a Terra sobreviveu

 

Tudo começou em 2020

Em dezembro de 2020, o Comitê de Ética Militar do Ministério da Defesa francês permitiu experiencias com biônicos para capacitar soldados do exército francês.

 Surpreendentemente, a decisão veio poucos dias depois de John Radcliffe, diretor de Inteligência Nacional (DNI) dos EUA, ter dito que a China estava realizando testes militares em humanos para criar tropas “bio-reforçadas”. Ao mesmo tempo, o Ministério da Defesa francês indicou que seus soldados ciborgues seguiriam as normas de moralidade e ética.

Em particular, os militares não podem usar tecnologia que interfira com a humanidade fundamental de um soldado. Os soldados devem manter o livre arbítrio e poder escolher o nível de força que usam, por exemplo, um aprimoramento biônico não pode forçar um soldado a usar força letal quando a força não letal é uma escolha óbvia. Além disso, a biônica não deve interferir na reintegração de um soldado à vida civil.


Poderiam os primeiros Egípcios terem tido contatos extraterrestres?



Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário