segunda-feira, 30 de maio de 2022

El Dorado, cidades e pirâmides antigas descobertas na Amazónia

Cidades com pirâmides, terraços e canais estão localizadas na savana de Llanos de Mojos, um lugar na Bolívia que antes era considerado desabitado na antiguidade. Eles foram descobertos usando um helicóptero, no qual foi instalado um equipamento de varredura.

Essas estruturas foram supostamente criadas pelas comunidades indígenas Casarabe entre 500 e 1400 dC. Até há pouco tempo, ninguém suspeitava de sua existência, pois estavam escondidos sob as árvores.




El-dourado
Photo//Outros planetas


A lendária cidade perdida de Tesla e Marconi


Os investigadores usaram a tecnologia “Lidar” montada num helicóptero, para visualizar o solo através do dossel da floresta tropical. Aí encontraram terraços quadrados cobrindo uma área equivalente a 30 campos de futebol, além de pirâmides cónicas de 21 metros de altura.

A descoberta mostra que a Amazônia é habitada pela população indígena há pelo menos um milênio.

Suspeitamos há muito tempo, que as sociedades pré-colombianas mais complexas de toda a bacia se desenvolveram nesta parte da Amazônia boliviana, mas as evidências estão escondidas debaixo da densa floresta e são difíceis de alcançar por terra”, diz José Iriarte, da Universidade de Exeter.



O nosso sistema “Lidar” detetou terraços construídos, barragens, cercas de postos de controlo e tanques de água. Existem estruturas monumentais a apenas com uma milha de distância, conectadas por 600 milhas de canais com barragens ligando locais, reservatórios e lagos.”

 O scanner transmite aproximadamente 1,5 milhão de pulsos de laser por segundo. Toda a vegetação é então removida digitalmente e é obtido um modelo digital de superfície do local, que pode ser exibido como uma imagem 3D. Assim, foram descobertas duas áreas surpreendentemente grandes com estruturas feitas pelo homem.

Até o final do século 20, havia ceticismo científico de que poderia haver algo mais do que uma cultura primitiva de caçadores-coletores na região amazônica.


Oito descobertas inexplicadas da antiguidade

 

A Planície dos Moxos, localizada no extremo sudoeste da região amazônica, é inundada durante vários meses do ano durante a estação chuvosa, tornando-a imprópria para habitação permanente.

 No entanto, nas últimas décadas tem havido evidências de antigos sistemas de irrigação, terraplenagem, grandes cidades, barragens e canais que muitas vezes percorrem quilómetros em linha reta através das florestas.



Isso indicava a existência de um assentamento relativamente denso aqui em tempos pré-hispânicos. Nosso objetivo era fazer uma pesquisa básica aqui e verificar os assentamentos”, diz o Dr. Heiko Primers, do Instituto Arqueológico Alemão, que participou do estudo.

Para saber mais, uma equipa internacional de investigadores britânicos e alemães do Instituto Arqueológico Alemão, da Universidade de Bonn e da Universidade de Exeter foi pioneira na tecnologia de laser “Lidar” aerotransportado na região amazônica.

 


Cidade-na-amazonia
À esquerda está uma foto comum de uma altura, à direita está uma imagem do mesmo local usando scanners Lidar.
Photo//Anomalien


A NASA considera que existiu uma civilização há milhões de anos


Ainda não é possível estimar quantas pessoas moravam lá. No entanto, a configuração do assentamento sugere que o local era bastante densamente povoado.

A equipa de pesquisa sugere que a escala de trabalho e planeamento aplicada às estruturas encontradas não tem precedentes na Amazônia e comparável apenas aos antigos estados dos Andes centrais (culturas Inca, Tiwanaku, Nazca, Mochica, etc.).

 Os investigadores também insistem que essas cidades foram construídas e gerenciadas não em oposição à natureza, mas com ela, usando estratégias de vida sustentável bem-sucedidas que promoveram a conservação da natureza e mantiveram a rica biodiversidade da paisagem circundante.


Descobertas duas pirâmides no centro do Triangulo das Bermudas



Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário