quinta-feira, 31 de março de 2022

Poderá acontecer uma crise alimentar global devido á guerra na Ucrânia?

O diretor executivo do Programa Mundial de Alimentos da ONU, diz que a guerra na Ucrânia está causando a pior crise alimentar desde a Segunda Guerra Mundial.

De tremores nos mercados globais de energia a uma crescente crise de refugiados na Europa, as repercussões da guerra da Ucrânia estão sendo fortemente sentidas em todo o mundo. E um dos efeitos de longo alcance está se transformando numa crise alimentar global.



Cultura-de-cereais
Photo//Agroportal

O que aconteceria á humanidade depois de uma guerra nuclear


Por causa da guerra em curso, uma quantidade crucial de trigo, milho e cevada do mundo ficou presa na Rússia e na Ucrânia, de acordo com a AP News. Também não termina aí, pois uma parcela ainda maior dos fertilizantes do mundo está presa na Rússia e na Bielorrússia.

Isso pode ter impactos profundos no abastecimento global de alimentos, afetando drasticamente a fome e a segurança alimentar em todo o mundo.



Aumentando a insegurança alimentar global

O fato de a Rússia e a Ucrânia estarem em guerra é uma notícia terrível para o mercado global de alimentos, pois representam cerca de 30% das exportações globais de trigo, 17% das exportações globais de milho, 32% das exportações globais de cevada e 75% do girassol, e exportações de óleo de semente nos últimos cinco anos.

A Rússia foi efetivamente cortada financeiramente como resultado de sanções, razão pela qual não conseguiu exportar alimentos. Enquanto isso, a Ucrânia foi fisicamente bloqueada do resto do mundo, pois a Rússia fechou o Mar Negro às exportações, e a Ucrânia não tem capacidade para transportar os alimentos por comboio.


O aviso vem da China, terceira guerra mundial está eminente



Isso pode levar a um aumento da fome no mundo, especialmente entre aqueles que vivem à beira da insegurança alimentar. Para colocar as coisas em contexto, a Ucrânia tem sido um dos principais fornecedores mundiais do Programa Alimentar Mundial (PAM), o órgão da ONU que oferece ajuda alimentar aos países necessitados. De fato, David Beasley, diretor do Programa Mundial de Alimentos, estima que fornece 40% de seu trigo, que agora foi completamente revertido, pois o PMA trabalha para fornecer aos ucranianos os alimentos necessários durante o conflito em andamento, informou a AP News.

As Nações Unidas estimaram no início deste mês que o impacto da guerra no mercado global de alimentos pode resultar em mais 7,6 milhões a 13,1 milhões de pessoas passando fome, e os custos do Programa Mundial de Alimentos já aumentaram US$ 71 milhões por mês, o que é suficiente para reduzir rações diárias para 3,8 milhões de pessoas.

 



O que está por vir

Embora quase todos os países possam ver preços mais altos dos alimentos, certas áreas podem ter dificuldades para encontrar alimentos adequados. Pessoas em vários países africanos que dependem de suprimentos da Ucrânia e da Rússia são particularmente vulneráveis.

Além disso, nações como Armênia, Mongólia e Cazaquistão, que dependem da Rússia e da Ucrânia para quase todo o seu trigo, precisarão encontrar outros fornecedores. Eles também enfrentam compradores muito maiores, como Turquia, Irã e Egito, que obtiveram mais de 60% de seu trigo da Ucrânia e da Rússia.



Fica muito mais complicado quando a China entra em cena como o maior produtor e consumidor mundial de trigo. O New York Times informou que o país deverá comprar muito mais do que o habitual nos mercados mundiais este ano devido à próxima colheita parecer desfavorável como resultado das graves inundações no ano passado.

Isso mostra que, mesmo antes da guerra e do surto da pandemia de COVID-19, as mudanças climáticas e o aumento dos níveis populacionais já haviam-se somado aos problemas enfrentados pelo sistema global de abastecimento de alimentos.



Aumenta a preocupação com a Terceira Guerra Mundial


"Se acabarmos com o conflito, atendermos às necessidades, podemos evitar a fome, a desestabilização das nações e a migração em massa", disse David Beasley, diretor executivo do Programa Mundial de Alimentos da ONU, ao Conselho de Segurança da ONU. "Mas se não o fizermos, o mundo pagará um preço alto e a última coisa que queremos fazer como Programa Alimentar Mundial é tirar comida de crianças famintas para dar a crianças famintas."



Presidente Putin declara "Os Anunnaki são mais perigosos que Niribu"


Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário