domingo, 13 de fevereiro de 2022

Suécia, Dinamarca e Noruega levantam as restrições do COVID-19

O Reino Unido também mudou suas regras de auto-isolamento para pessoas que testam positivo para o vírus.

Não há dúvida de que as pessoas estão fartas do coronavírus e das restrições que o acompanham.


Suécia, Dinamarca e Noruega levantam as restrições do COVID-19
Photo//GZH


Cientistas criaram 'sementes' magnéticas para aquecer e matar o câncer


Mas é hora de descartar essas medidas? Algumas nações acreditam que sim.

Este é um passo para trazer as sociedades de volta ao normal ou um movimento perigoso na direção errada?

Suécia, Dinamarca e Noruega levantam restrições

Tudo começou com a Dinamarca suspendendo todas as restrições em 1º de fevereiro. A Noruega seguiu-se levantando muitas de suas medidas COVID-19 na mesma data, enquanto a Suécia suspendeu a maioria de suas restrições restantes em 9 de fevereiro, tendo sendo mesmo o país que menos restrições adotou durante a pandemia.



O governo sueco também pretende reclassificar o coronavírus como uma doença que “não representa um perigo para a sociedade ou uma ameaça à saúde pública” a partir de 1º de abril. No entanto, nem todos estão de acordo com essas novas decisões.

Um alerta da OMS

Na mesma data em que a Dinamarca e a Noruega anunciaram suas decisões de eliminar as medidas do COVID-19, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse em entrevista coletiva que a maioria das regiões do mundo estava passando por um “aumento muito preocupante de mortes” devido à introdução da variante ómicron.

Mais transmissão significa mais mortes”, explicou. “Não estamos pedindo que nenhum país retorne ao chamado bloqueio. Mas estamos pedindo a todos os países que protejam seus povos usando todas as ferramentas do kit de ferramentas, não apenas vacinas”.

É prematuro para qualquer país se render ou declarar vitória”, alertou Tedros.



O aviso parece cair em ouvidos surdos, pois o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, revelou nesta semana que as regras de auto-isolamento para pessoas com resultado positivo para o vírus terminarão no final deste mês.

Embora seja bom para as economias e sociedades que as circunstâncias nas nações voltem ao normal, é preciso se perguntar sobre os perigos de ignorar os conselhos de especialistas na área. Se a proeminente organização de saúde do mundo diz que é muito cedo para eliminar as restrições, é muito provável que sim, se bem que muito discutível.



O levantamento das restrições agora pode deixar as pessoas felizes por um tempo, mas se a propagação do vírus piorar, será um preço doloroso a pagar por um pouco de conforto. Essas nações europeias deveriam reconsiderar suas decisões atuais?

Deixe o seu comentário sobre o que pensa do assunto.

Nova vacina COVID, sem patente, desenvolvida para dar de "presente ao mundo"

A COVID veio para ficar. Cabe aos países adaptarem-se

Vacina anti envelhecimento elimina células disfuncionais que causam doenças


Referencia//interestingengineering.

Sem comentários:

Enviar um comentário