sábado, 12 de fevereiro de 2022

Cientistas criam o "XENOBOT", o primeiro robô vivo e auto curável do mundo

Nomeado de Xenobot ,em homenagem ao sapo africano (Xenopus laevis) do qual suas células-tronco são derivadas, os novos robôs vivos são máquinas com menos de um milímetro de largura, pequenas o suficiente para viajar dentro de corpos humanos.

Eles podem andar e nadar, sobreviver semanas sem comida e trabalhar em grupos. Estas são "formas de vida inteiramente novas", disse a Universidade de Vermont, que conduziu a pesquisa na Universidade Tufts.



Cientistas-criam-o -XENOBOT
Foto//segnidalcielo


Professor do MIT adverte que vêm aí “robôs assassinos”


As células-tronco são células não especializadas que têm a capacidade de se transformar em diferentes tipos de células. Os investigadores coletaram células-tronco vivas de embriões de rã e permitiram que eles incubassem. Em seguida, as células foram cortadas e remodeladas em “formas de corpo” específicas projetadas por um supercomputador, sendo formas “nunca vistas na natureza”, de acordo com a Universidade de Vermont.

As células começaram a trabalhar por conta própria, e as células da pele uniram-se para formar a estrutura, enquanto as células musculares do coração permitiram que o robô se movesse por conta própria. Os Xenobots devem sua capacidade de autocura, quando os cientistas hackearam um robô, ele curou-se e continuou se movendo.



Joshua Bongard, investigador-chefe da Universidade de Vermont, disse no comunicado à imprensa: “Eles são novas máquinas vivas. Não são um robô tradicional nem uma espécie conhecida de animal. É uma nova classe de artefatos: um organismo vivo e programável."

Os Xenobots não devem ser vistos como robôs tradicionais, que, portanto, possuem engrenagens luminosas ou braços robóticos. Em vez disso, os Xenobots, parecem-se mais com uma pequena bolha de carne rosa em movimento. Os investigadores dizem que isso é intencional: essa "máquina biológica" pode alcançar resultados que os robôs típicos de aço e plástico não conseguem.



 

Os robôs tradicionais “degradam-se com o tempo e podem produzir efeitos prejudiciais à saúde e efeitos colaterais ecológicos”, disseram os investigadores do estudo, publicado no dia 12 de janeiro de 2020 no Proceedings of the National Academy of Sciences. Segundo os cientistas, assim como as máquinas biológicas, os xenobots são mais ecológicos e mais seguros para a saúde humana.

Os Xenobots poderiam potencialmente ser usados ​​para uma série de tarefas, de acordo com o estudo, que foi financiado em parte pela DARPA – Agency for Defense Advanced Research Projects, uma agência federal (EUA), que supervisiona o desenvolvimento da tecnologia para uso militar. . .

 

Celulas-tronco
Photo//novaeraonline

Juristas avaliam as leis futuras para lidar com a ascensão dos Sexbots


O Xenobot pode ser usado para descarte de resíduos radioativos, coleta de microplásticos nos oceanos, transporte de drogas em corpos humanos ou até mesmo viajar para nossas artérias para remover placas. Eles podem sobreviver em ambientes aquosos sem nutrientes adicionais por dias ou semanas, tornando-os adequados para entrega interna de drogas. Além dessas tarefas práticas imediatas, os Xenobots também podem ajudar os cientistas a aprender mais sobre biologia celular, abrindo as portas para futuros avanços na saúde humana e na longevidade.




Nova ferramenta permite projetar nano-robots de DNA em minutos



Referencia//Segnidalcielo

Sem comentários:

Enviar um comentário