sábado, 14 de agosto de 2021

Temperaturas mais elevadas de sempre na Europa

A Itália pode ter acabado de registrar a temperatura mais alta da história da Europa, de acordo com relatórios preliminares de meteorologistas locais. E talvez apropriadamente, o culpado foi a onda de calor nomeada “Lúcifer”.

Siracusa, uma cidade na costa da ilha italiana da Sicília, registou temperaturas de 119,85 graus Fahrenheit (48,8 graus Celsius) na quarta-feira (11 de agosto).


Incendios-na-Grecia
Photo//DomTotal


A Corrente do Golfo, vital para o clima mundial, pode colapsar.



Se a medição for confirmada pela Organização Meteorológica Mundial, ela baterá o recorde europeu anterior de 118,4 F (48 C) registado em Atenas em 1977.



A medição ocorre em meio a uma onda de calor escaldante que assolou o Mediterrâneo por mais de uma semana, alimentando incêndios florestais devastadores que destruíram casas e custaram vidas na Itália, Grécia, Argélia e Turquia, de acordo com a Associated Press.

O presidente de Siracusa, Francesco Italia, disse ao jornal  La Repubblica  estar preocupado com o potencial recorde de temperatura.

"Estamos devastados pelos incêndios. E o nosso ecossistema, um dos mais ricos e preciosos da Europa, está em risco", disse Italia. "Estamos em plena emergência."



Os bombeiros lidaram com 44.442 incêndios florestais desde 15 de junho, de acordo com estatísticas do governo italiano, um grande aumento em relação aos 26.158 relatados em todo o verão passado. O serviço de resgate e bombeiros da Itália escreveu no Twitter que os bombeiros lutaram com mais de 500 incêndios na Sicília e na Calábria na noite de quarta a quinta de manhã (12 de agosto), usando cinco aviões para apagar as chamas.

Quatro mortes foram associadas aos incêndios na semana passada no sul da Itália, incluindo um pastor de 77 anos que foi encontrado morto na região da Calábria. O homem estava procurando refúgio numa casa de fazenda com o seu rebanho quando morreu, de acordo com a Associated Press .

De acordo com meteorologistas, a onda de calor no sul da Itália é causada por um anticiclone, uma região de altas pressões que faz com que o ar preso dentro dela afunde, que se formou no Norte da África. O anticiclone foi apelidado de Lúcifer pelos média italiana.

Prevê-se que Lúcifer continuará se deslocando para o norte através da Itália, criando condições devastadoras à medida que avança em direção a Roma.




Incendios-na-Grecia-satelite
Photo//NASA


Ignorar a mudança climática produzirá sofrimento incalculável á humanidade


Os incêndios florestais atingiram outras partes do sul da Europa e do Norte da África nesta semana, destruindo muitos vilarejos na Grécia e forçando milhares a evacuar. O presidente da Argélia declarou um período de luto de três dias ontem (11 de agosto), depois do número de mortos devido aos incêndios florestais ter subido para 65.

Na Turquia, um incêndio florestal que se aproximou de uma usina a carvão na costa sudoeste também provocou uma evacuação,  informou a Live Science anteriormente.

Na segunda-feira (9 de agosto), um relatório histórico do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU emitiu um alerta severo de que a Terra deveria atingir o limite crítico de aquecimento de 1,5 C (2,7 F) devido à mudança climática  nos próximos 20 anos.



O relatório, que o secretário-geral da ONU António Guterres descreveu como um código vermelho para a humanidade”, alerta que ondas de calor cada vez mais extremas, secas e inundações se tornarão mais comuns com o aquecimento do planeta.

"Os alarmes são ensurdecedores e as evidências são irrefutáveis: as emissões de gases de efeito estufa da queima de combustíveis fósseis e do desmatamento estão sufocando o nosso planeta e colocando biliões de pessoas em risco imediato", disse Guterres num comunicado.

"Se combinarmos forças agora, podemos evitar uma catástrofe climática. Mas ... não há tempo para atrasos e não há espaço para desculpas."


Condições climáticas extremas atingem todo o mundo



Referencia//Live Science

Sem comentários:

Enviar um comentário