quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Novo avanço que ajuda o sistema imunológico na luta contra o cancer

Uma nova pesquisa identificou um tratamento potencial que pode melhorar a capacidade do sistema imunológico humano de pesquisar e destruir células cancerosas dentro do corpo.

Os cientistas identificaram uma forma de restringir a atividade de um grupo de células que regulam o sistema imunológico, que por sua vez pode libertar outras células imunológicas para atacar tumores em pacientes com câncer.

 

Diagrama-que-explica-os-efeitos-no-tumor
Diagrama que explica os efeitos no tumor
Photo//Universidade de Southampton



Sobe o custo das vacinas da Pfizer e da Moderna


"O sistema imunológico de um paciente é mais do que capaz de detetar e remover células cancerosas e a imunoterapia surgiu recentemente como uma nova terapia para muitos tipos diferentes de câncer." Explicou Nullin Divecha, Professor de Sinalização Celular da Universidade de Southampton, que liderou o estudo. "No entanto, as células cancerosas podem gerar um microambiente dentro do tumor que impede o sistema imunológico de funcionar, limitando assim o uso geral e o sucesso da imunoterapia", continuou ele.



 

A deteção e remoção de células cancerosas pelo sistema imunológico é realizada em parte por um grupo de células chamadas células Teffector (Teffs).  A forma como as células Teff funcionam na deteção e remoção de células cancerosas é em parte ditado por outras células, as chamadas células T reguladoras, ou Tregs. Os Tregs interagem fisicamente com as células Teff e produzem moléculas que reduzem a capacidade das células Teff de funcionarem adequadamente.

 O Prof Divecha acrescentou: "Os Tregs desempenham uma função importante no corpo humano porque sem eles, o sistema imunológico pode ficar fora de controlo e atacar as células normais do corpo. No entanto, em pacientes com câncer, precisamos dar às células Teff mais liberdade para realizar seu trabalho. "



As moléculas libertadas pelas células tumorais agravam o problema, atraindo e acumulando Tregs, reduzindo ainda mais a atividade e função das células Teff. Existem mecanismos para inibir as células Treg, no entanto, como as células Treg e Teff são muito semelhantes, geralmente também levam à inibição das células Teff.

Neste novo estudo, publicado na revista Proceedings of National Academy of Sciences dos Estados Unidos da América, cientistas da University of Southampton e do National Institute of Molecular Genetics de Milão mostraram que a inibição de uma família de enzimas em células chamadas PIP4K poderia ser a resposta para como restringir Tregs sem afetar Teffs.



A equipa de pesquisa isolou Tregs de doadores saudáveis ​​e usou tecnologia genética para suprimir a produção das proteínas PIP4K. Eles observaram que a perda de PIP4Ks das células Treg as impedia de crescer e responder aos sinais imunológicos, o que as impediria de bloquear o crescimento e a função das células Teff.

É importante ressaltar que a perda das mesmas enzimas nas células Teff não limitou sua atividade.



 

"Isso foi surpreendente porque PIP4Ks estão em ambos os tipos de células T em concentrações semelhantes, mas nosso estudo mostra que eles parecem ter uma função mais importante para Tregs do que Teffectors", disse o Dr. Alessandro Poli, que realizou a pesquisa experimental.

A inibição de PIP4K como potencial terapêutico para pacientes requer o desenvolvimento de moléculas inibidoras. "Para este fim, mostramos que o tratamento com um inibidor de PIP4K semelhante a uma droga pode permitir que o sistema imunológico funcione mais fortemente e seja mais bem equipado para destruir as células tumorais."

Créditos; Universidade de Southampton



A Europa pode ter sido atingida pelo COVID-19 antes da China




Referencia//Eurekalert

Sem comentários:

Enviar um comentário