domingo, 15 de agosto de 2021

Juristas avaliam as leis futuras para lidar com a ascensão dos Sexbots

Os sexbots estão chegando, ou melhor, eles já estão aqui e cada vez mais sofisticados e realistas . Isso significa que regras e leis oficiais sobre seu uso serão exigidas, de acordo com dois especialistas em direito.

No momento, não há muita pesquisa sobre se o uso de robôs sexuais é bom ou mau para os indivíduos ou para a sociedade como um todo. Isso levanta muitas questões sobre sexo, relacionamentos e como devemos tratar as criações de inteligência artificial que fazemos.


Robots-sexuais
Photo//Jornal da Ciencia


Numa futura pandemia os robôs podem estar na linha da frente



Essas questões já foram exploradas em filmes como Her e Ex Machina, mas a ficção científica nesses filmes está rapidamente se tornando realidade científica. Em breve, teremos que começar a decidir quais devem ser os limites.

"Os legisladores terão que equilibrar os interesses individuais e públicos concorrentes e complexos que representam novos desafios éticos, regulatórios e legais por causa dos avanços da tecnologia", disse Madi McCarthy , que estudou direito na Flinders University na Austrália e agora é associada no escritório de advocacia LK .



Alguns argumentam que os sexbots são benéficos, ajudando aqueles que não são capazes de desfrutar de uma vida sexual normal devido à idade, circunstâncias, deficiência física ou problemas de saúde mental. Eles potencialmente oferecem um espaço seguro para aqueles que não têm certeza sobre sexo ou sua própria orientação e podem reduzir as pressões sobre a prostituição e o tráfico sexual.



Por outro lado, tal como a pornografia, os sexbots podem ser vistos como uma forma de objetificar ainda mais as mulheres e encorajar o sexo que está cada vez mais afastado das emoções, o que pode levar a aumentos na violência e no abuso. Alguns robôs agora podem ser programados para imitar o ato de recusar o consentimento, o que é um passo preocupante em direção a atos ilegais.

Discussões semelhantes acontecem há algum tempo em torno do uso de bonecas sexuais, e é importante notar que em algumas partes do mundo, incluindo a Austrália, as bonecas sexuais que Têm a aparência de crianças, estão proibidas.

"Embora nenhuma legislação australiana regule ou proíba as relações sexuais com robôs atualmente, existem regulamentos sobre bonecas sexuais infantis que foram abordadas pela Comunidade, Austrália do Sul e Queensland. Essas disposições legais podem orientar quaisquer leis futuras sobre o uso de adultos robôs sexuais, mas há novos fatores que devem ser considerados ", diz McCarthy .



Robot revela segredos da Grande Pirâmide


O fato é que mais pesquisas são necessárias para entender que tipo de efeito positivo ou negativo os robôs sexuais podem ter sobre as pessoas que os usam, e isso é complicado com a tecnologia que avança o tempo todo.

Um estudo examinou as atitudes de terapeutas e médicos em relação aos robôs sexuais: as três principais sugestões para usar os bots foram para aqueles com ansiedade social, aqueles sem um parceiro que não querem depender de casos de uma noite ou prostituição, e para aqueles que tiveram problemas com a ejaculação precoce.



Esses e outros usos terapêuticos são certamente plausíveis, mas com o potencial desses sexbots de causar sérios danos a atitudes e relacionamentos também. Os investigadores e os legisladores precisam agir rapidamente para chegar a um consenso científico.

"Os robôs sexuais desafiam as conceções existentes de como os humanos interagem com as tecnologias emergentes. e fazem-no da maneira mais íntima", concluem McCarthy e a Reitora de Direito da Universidade Flinders, Tania Leiman, no seu artigo.

Embora qualquer resposta regulatória precise equilibrar uma infinidade de interesses, questões éticas e desafios legais, o potencial muito real dessa tecnologia para objetivar e promover a violência sexual contra as mulheres sugere que uma ação é necessária mais cedo ou mais tarde”.

 

Pode ler o artigo completo no Law Society of SA Journal .

Cientistas russos pretendem conseguir a imortalidade até 2045


Referencia//ScienceAlert

1 comentário:

  1. Na verdade essa questão nos remete a um desejo recorrente dpo ser humano, o de fazer as coisas sem obrigação de ser bom ou boa, de ter retorno desejado na sua plenitude sem questionamentos e de não ser responsabilizado (a) por algo que venha a dar errado!
    Simples assim!

    ResponderEliminar