domingo, 4 de julho de 2021

Aumenta a preocupação com a Terceira Guerra Mundial

As preocupações com a Terceira Guerra Mundial aumentaram vertiginosamente nos últimos dias uma vez que Israel e Palestina continuaram a violência mais sangrenta vista na região desde 2014. Ataques entre israelenses e palestinos continuam enquanto uma mutação mortal do Coronavírus está se espalhando pelo mundo tornando a Terceira Guerra Mundial uma das maiores preocupações. Dadas as relações tensas entre os países ao redor do mundo, existem vários pontos críticos onde a Terceira Guerra Mundial tem maior probabilidade de começar em 2021.

Mas sem dúvida, o mais preocupante, é a relação entre os Estados Unidos e a China, que tem estado particularmente tensa nos últimos anos. Um acordo comercial entre os dois países parece ter aliviado em alguns aspetos, mas parece ter sido insuficiente. As tensões aumentaram nos últimos tempos em relação ao comércio, espionagem e a pandemia.


Guerra-nuclear
Photo//Olhar Digital


 

Presidente Putin declara "Os Anunnaki são mais perigosos que Niribu"


A relação China-EUA é crucial para ambos os lados e para o mundo. Pequim pediu repetidamente ao governo do presidente Biden que melhorasse as relações que se deterioraram com Trump. As negociações bilaterais no Alasca ocorreram em março entre os Estados Unidos e a China, tendo os EUA desencadeado ataques acalorados às políticas da China em relação aos direitos humanos, ataques cibernéticos, Taiwan e sua repressão em Xinjiang e Hong Kong. Mas agora o gigante asiático adiantou-se.

A China parece estar construindo mais de 100 novos silos para mísseis no deserto, de acordo com uma análise de imagens de satélite revelada pelo The Washington Post .



misseis-nucleares
Photo//mundoesotericoparanormal



Submarino “Belgorod”, equipado com armas capazes de provocar tsunamis", já navega



Ao analisar as imagens de satélite do Planet Labs, Jeffrey Lewis e Decker Eveleth, investigadores do Centro James Martin para Estudos de Não Proliferação (CNS) em Middlebury, Vermont, EUA, identificaram 119 silos ICBM em construção nas proximidades de Yumen, na província de Gansu.



Os investigadores também identificaram a construção de um possível centro de controlo. Este novo relatório parece confirmar um outro, publicado em fevereiro passado, pelo investigador da Federação de Cientistas Americanos Hans Kristensen, que observou que a China estava construindo vários silos de mísseis balísticos na China central. Lewis disse ao Washington Post que ao adicionar os silos em construção em outros locais na China eleva o total para cerca de 145 silos. A teoria é que a China está expandindo suas forças nucleares em parte para manter um meio de dissuasão que possa sobreviver a um primeiro ataque dos EUA em número suficiente para derrotar as defesas antimísseis dos EUA.

Dito isso ainda não está claro se a China pretende preparar todos os silos com mísseis nucleares. Existe a possibilidade de que a China esteja simplesmente tentando provocar incerteza estratégica. De acordo com Lewis se for esse o caso isso imitaria uma estratégia americana implementada durante a Guerra Fria. A China com apenas algumas centenas de armas nucleares tem um arsenal nuclear significativamente menor do que os Estados Unidos e a Rússia, que possuem milhares de armas nucleares mas o Pentágono disse que a China parece estar expandindo suas capacidades nucleares.



O Departamento de Defesa dos EUA explicou num relatório de 2020 que a China pretende aumentar suas forças nucleares em tempos de paz, adotando uma postura de lançamento em alerta (LOW) com uma força expandida baseada em silos. Além disso o relatório observou que, na próxima década, o número de ogivas nucleares da China atualmente estimados em cerca de 200 devem pelo menos dobrar à medida que a China expanda e modernize suas forças nucleares.


Missil-chines
Photo//mundoesotericoparanormal


Dois satélites explodem misteriosamente


 Acredita-se que, pelo menos alguns dos novos silos de mísseis que estão sendo construídos na China, tenham sido projetados para abrigar o novo DF-41 ICBM. Embora o DF-41 só possa ser movido por rodovia e disparado do solo, a China, aparentemente, está considerando usar ferrovias e silos como alternativas. Como seu antecessor, o governo Biden expressou o desejo de um mecanismo de controlo de armas de algum tipo que também cubra o arsenal nuclear em desenvolvimento da China não apenas os dos Estados Unidos e da Rússia. No entanto não se sabe como ele pretende conseguir isso.



O Início da Terceira Guerra Mundial

Nesta altura muitos questionam-se, se todos esses movimentos estratégicos correspondem ao início da Terceira Guerra Mundial. E não é para menos, já que sabemos como a China se tornou o centro das atenções em todo o mundo. E não exatamente pelo seu boom tecnológico, mas porque está na origem de uma pandemia incontrolável. Além disso, foi demonstrado que COVID-19 emergiu do laboratório de Wuhan. Isso abre a possibilidade de que a pandemia foi intencionalmente causada para causar uma catástrofe global.



O certo é que 2021 está sendo muito difícil para a maioria das pessoas em todo o mundo. Mas a acreditar em Nostradamus e nas suas profecias mais perturbadoras sobre a eclosão da guerra global ainda não foram cumpridas. Será este o ano em que isso acontecerá? Especialistas nas profecias de Nostradamus dizem que o vidente francês nos alertou sobre uma guerra entre Oriente e Ocidente numa de suas quadras. No século 8, Quadra 59, ele escreveu o seguinte:

"Duas vezes aumentou e duas vezes derrubou,

O Oriente também enfraquecerá o Ocidente.

Seu adversário depois de várias batalhas

perseguidos por mar falharão em tempos de necessidade."

Será uma referência à Terceira Guerra Mundial que começará com a China e os Estados Unidos? Somente o tempo dirá.


China vende drones armados para países em todo o mundo



Referencia//MundoEsotericoParanormal



Sem comentários:

Enviar um comentário