sábado, 8 de maio de 2021

Identificado novo perigo de tsunami potencialmente devastador

Os cientistas identificaram um risco novo e potencialmente devastador de tsunami em certas áreas do mundo, ligado a falhas submarinas de ataque-deslizamento na crosta terrestre, onde blocos de rocha ao longo de uma falha deslizam horizontalmente uns sobre os outros.

Até agora, pensava-se que terremotos em falhas de deslizamento só poderiam gerar grandes tsunamis se também provocassem deslizamentos subaquáticos, mas por meio de modelagem detalhada e com a ajuda do supercomputador Blue Waters , os cientistas concluíram que o risco é muito maior.



baia-sao-francisco
Photo//Pixabay//12019-12019


Deslizamento de terra no Alasca, pode causar tsunami catastrófico


Na verdade, o movimento lateral e a energia gerada nas falhas de ataque-deslizamento podem produzir tsunamis significativos, mostram os resultados. É um pouco como sacudir um copo com água, dizem os investigadores.

"O modelo baseado na física usado neste estudo fornece uma visão crítica sobre o perigo associado à falha de ataque-deslizamento", disse o engenheiro civil Mohamed Abdelmeguid  da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign.

"Particularmente, a necessidade de levar em conta esse risco para mitigar danos futuros a outras baías atravessadas por falhas de deslizamento."

Para que o tsunami aconteça, os investigadores descobriram que é necessário um terremoto 'intersónico', um evento em que a rutura ocorre tão rapidamente que o movimento na linha da falha é mais rápido do que as ondas de cisalhamento sísmicas geradas na crosta.



As cidades costeiras próximas a falhas de deslizamento estão em risco, especialmente quando as falhas atravessam baías interiores. A área da baía de São Francisco, a baía de Izmit na Turquia e o Golfo de Al-Aqaba no Egito são exemplos. Essencialmente, os limites dessas baías estreitas estão sendo empurrados e puxados.

Isso leva a três fases que se unem, o movimento inicial e as ondas de choque, o deslocamento da água durante o terremoto e o movimento da onda tsunami resultante. Cada fase pode se desenvolver de forma diferente dependendo das condições locais.

"Cada uma dessas fases terá um efeito diferente, dependendo da geografia única do terreno circundante e da batimetria da baía", disse o engenheiro civil Ahmed Elbanna .



"Ao contrário dos terremotos e subsequente deslocamento da água que ocorrem a muitas milhas da costa, um terremoto e tsunami que ocorrem dentro dos limites estreitos de uma baía, deixarão muito pouco tempo para avisos."

O objetivo aqui é entender mais sobre como os tsunamis são criados e quais partes do planeta estão em maior risco, para que estejamos melhor preparados para eventos futuros . Até agora, esse risco específico não foi tido em conta nos modelos.

A relação entre falhas de deslizamento e tsunamis já foi examinada antes, mas apenas em pontos geográficos específicos. Aqui, os investigadores examinaram os fundamentos desses tipos de falhas, permitindo-lhes identificar vários locais por todo o globo que poderiam ser vulneráveis ​​a esse cenário.

 


Os investigadores acreditam que o enorme tsunami de setembro de 2018 que atingiu Palu na ilha indonésia de Sulawesi, desencadeado por um terremoto de magnitude 7,5, foi causado pelo mecanismo descrito neste estudo.

"Parecia que uma escavadora tinha entrado e destruído a cidade", disse o engenheiro civil Costas Synolakis,  da Universidade do Sul da Califórnia. "É por isso que é tão importantes tentar entender o que realmente aconteceu."

A pesquisa foi publicada no PNAS .


A sexta extinção em massa da Terra está em rápida aceleração


Referencia//ScienceAlert


Sem comentários:

Enviar um comentário