terça-feira, 20 de abril de 2021

Como a migração da Corrente do Golfo interfere com o aquecimento do oceano

A plataforma do Atlântico Noroeste é uma das regiões de mudança mais rápida no oceano global e atualmente está passando por ondas de calor marinho, pescarias alteradas e um aumento no nível do mar ao longo da costa leste da América do Norte. Um novo artigo, "Mudanças na Corrente do Golfo precederam o aquecimento rápido da Plataforma do Atlântico Noroeste", publicado na Communications Earth & Environment pelo graduado da Escola de Oceanografia da URI, Afonso Gonçalves Neto, revela as causas, a previsibilidade potencial e o contexto histórico para esses tipos de mudanças rápidas.


Grand-Banks-of-Newfoundland
Photo//LandfallNavigation


O Google Earth mostra as mudanças do planeta nos últimos 37 anos


"Usamos dados de satélite para mostrar que quando a Corrente do Golfo migra para mais perto da zona subaquático conhecida como Grand Banks of Newfoundland, como fez depois de 2008, ela bloqueia o transporte para sudoeste da Corrente de Labrador que, de outra forma, forneceria uma corrente rica em oxigênio frio e fresco, para a plataforma norte-americana ", disse o autor principal Gonçalves Neto. Esse mecanismo explica porque a década mais recente foi a mais quente já registada na orla do Nordeste dos Estados Unidos e Canadá, pois o sistema de distribuição de água fria para a região ter sido obstruído pela presença da Corrente do Golfo.

A equipa de pesquisa da URI observou a importância de descobrir, baseado em observações de satélite, da posição da Corrente do Golfo em relação aos Grand Banks, que precede o aquecimento da plataforma subterrânea há mais de um ano. "Ao monitorizar as observações de satélite, perto de Grand Banks, podemos prever mudanças chegando à plataforma do Nordeste dos EUA com tempo de espera potencialmente suficiente para informar a tomada de decisão de gestão das pescaa", disse o estudante de graduação GSO e co-autor Joe Langan.



Os Grand Banks of Newfoundland dificilmente passam despercebidos. Foi perto desse recurso que se afundou o RMS Titanic, o que ajudou a criação da Patrulha Internacional de Gelo. A Patrulha do Gelo vem coletando dados oceanográficos nesta região há mais de um século, permitindo que a equipe do URI coloque as observações recentes de satélite num contexto de muito longo prazo. Embora a mudança de 2008 na borda dos Grandes Bancos tenha criado condições mais quentes e salgadas do que as registadas desde 1930, houve uma mudança semelhante na década de 1970 em relação às décadas anteriores. Assim, a mudança de circulação observada diretamente pelos satélites pode ter tido um precedente há cerca de 50 anos.



Jaime Palter, professor associado de oceanografia do GSO e co-autor do estudo, ficou maravilhado com o longo histórico e com o que permanece desconhecido. “Ainda não sabemos o que causou a mudança abrupta da circulação perto dos Grand Banks inferida na década de 1970 e observada em 2008, ou se essa é a nova normalidade para a circulação e as temperaturas da plataforma nordeste”, disse Palter. "Existem estudos de modelos que sugerem que uma desaceleração da Circulação Meridional de Virada do Atlântico pode causar os tipos de mudanças que observamos, mas a conexão continua a ser feita no registo observacional."


Crise humanitária cresce devido á erupção do vulcão La Soufrière


Referencia//ScienceDaily


Sem comentários:

Publicar um comentário