segunda-feira, 5 de abril de 2021

À medida que sobe o numero de vacinados, faz sentido abrir gradualmente a economia

Uma equipa de pesquisa da Universidade do Novo México conduziu uma análise de dados que descobriu que, á medida que aumenta o número de pessoas vacinadas contra o COVID-19, torna-se economicamente vantajoso começar a reduzir as medidas de distanciamento social e abrir negócios.

Francesco Sorrentino, professor associado de engenharia mecânica, é o autor principal de "Controle otimizado baseado em dados das epidemias de COVID-19", publicado em 22 de março na Scientific Reports .



Distanciamento
Photo//Noticias ao minuto


Há outra pandemia mais perigosa, que mata 8,7 milhões de pessoas por ano


Os coautores do estudo são Afroza Shirin, do Department of Mechanical Engineering and the Department of Electrical and Computer Engineering, e Yen Ting Lin, cientista da equipe do nformation Science Group in the Computer, Computational  e Statistical Sciences Division at Los Alamos National Laboratory

O estudo analisou dados de quatro áreas estatísticas metropolitanas (MSAs) nos Estados Unidos, Seattle, Nova York, Los Angeles e Houston de 21 de janeiro a 8 de julho de 2020. As quatro cidades foram escolhidas porque tiveram tendências divergentes com o vírus (Seattle e Nova York foram os primeiros pontos críticos, enquanto Los Angeles e Houston atingiram o pico no verão).



Sorrentino disse que embora as descobertas possam parecer óbvias, elas são significativas porque o modelo é inferido e parametrizado por relatórios de novos casos regionais e podem ajudar a orientar as decisões políticas à medida que mais empresas, escolas e outras organizações ponderam quando e como reabrir durante a pandemia.

“O nosso trabalho é quantitativo, então podemos oferecer algumas evidências que mostrem que as vacinas vão nos permitir afrouxar as medidas de distanciamento social, incluindo a abertura de negócios”, disse ele. "Isso dá uma medida de esperança à medida que avançamos e aumentamos o número de cidadãos que são vacinados."

Ele salienta que o estudo foca apenas os números, o que ele chama de "problema de otimização", para determinar o custo económico de manter muitos negócios fechados ou com capacidade reduzida. Sorrentino disse que o estudo definiu o impacto económico pelo grau que afeta a economia de uma cidade. Negócios como restaurantes, academias, salões de beleza e aeroportos que perderiam negócios sem a presença física das pessoas. O estudo levou em consideração tanto os custos associados à quarentena (que requer custos de supervisão, bem como custos devido à redução da produtividade), bem como o distanciamento social (que incorre em custos apenas devido à produtividade).



"Não olhamos para isso principalmente do ponto de vista da saúde pública. Estávamos olhando para o impacto económico da pandemia, que tentamos minimizar na presença de restrições relevantes para o domínio da saúde pública, como suprimir o número de infetados indivíduos abaixo de um limite ao longo de alguns meses ", disse ele. "Mas nosso modelo mostra que mesmo antes de alcançarmos a imunidade coletiva, podemos abrandar o distanciamento social em comparação com a situação anterior à imunização."

Sorrentino disse que há várias outras ressalvas ao estudo. Por exemplo, a análise ocorreu antes que as variantes do vírus fossem um fator nos Estados Unidos, de modo que essa variável não é tida em consideração.


O novo teste VaNGuard deteta o SARS-CoV-2 mesmo depois de mutação

 

A análise olhou para Seattle, desde 14 de Dezembro de 2020, quando a vacina foi administrada pela primeira vez. Mesmo com esses dados limitados, o efeito da vacinação foi dramático, impactando a chamada "solução de controlo ideal". O estudo calculou essas soluções ótimas em muitas condições diferentes.

"Embora as intervenções ótimas variem dependendo de uma série de fatores, sempre vimos que um relaxamento gradual do distanciamento social era possível depois que cerca de 10% da população foi vacinada", disse ele.

Após apenas 20 dias, a tendência foi ficando clara ao comparar com o caso em que os efeitos da vacinação não foram incorporados ao modelo.



Mesmo com apenas uma pequena percentagem da população vacinada, muito menos distanciamento social era ideal, então pode-se presumir que o efeito do aumento dos esforços de vacinação será ainda mais robusto”, disse ele.

Sorrentino enfatiza também que todos devem continuar a seguir a política e as diretrizes de saúde vigentes, e que o relaxamento do distanciamento social deve seguir essas diretrizes e ser gradativo. E, claro, essa orientação pode mudar, com base nas taxas de propagação do vírus e das variantes.

Sorrentino conduziu uma extensa pesquisa na área de teoria de controlo e sincronização usando modelos matemáticos. No ano passado, ele recebeu o prêmio National Institutes of Health Trailblazer do National Institute of Biomedical Imaging and Bioengineering por um projeto de pesquisa que poderia melhorar a forma como os medicamentos para doenças são cronometrados e entregues aos pacientes.



Numa futura pandemia os robôs podem estar na linha da frente


Referencia//hScienceDaily


Sem comentários:

Publicar um comentário