sexta-feira, 5 de março de 2021

Apresentado avião que ligará New York a Londres em 90 minutos

A empresa norte-americana, Spike Aerospace, quer criar uma aeronave de negócios pouco ruidosa que possa viajar entre New York, EUA, e Londres, Reino Unido, em menos de duas horas.

A fabricante dos EUA, que está projetando um avião supersónico que poderia voar no futuro de Londres, Reino Unido, a New York, EUA, em 1,5 hora, mostrou ao jornal Telegraph o interior da aeronave chamada S-512.


S-512
Photo//Spike Aerospace

Está para breve o maior avião a hidrogénio do mundo


A sua velocidade de voo poderá igualar 1,6 Mach, ou seja, mais de 1.900 km/h, o dobro de qualquer outra aeronave em serviço hoje em dia, e semelhante aos antigos Tu-144 e ao Concorde, aviões de passageiros supersónicos, construídos nos finais dos anos 60. Isso permitiria um voo de duração de três horas e meia entre Londres e New York, ou entre Dubai, Emirados Árabes Unidos, e Hong Kong, China.

No entanto, melhoramentos na engenharia devem aumentar sua velocidade para 3,2 Mach, ou seja, cerca de 3.950 km/h, nos próximos dez anos, para que essas viagens possam ser feitas em apenas 90 minutos.

"Desde sempre que as pessoas querem viajar mais rápido", comentou Vik Kachoria, presidente da Spike Aerospace, ao Telegraph.

 


"Chegar aos destinos mais rapidamente significa mais oportunidades, quer seja andar de camelo em vez de andar a pé, ou sobrevoar o Atlântico em seis horas em vez de passar quatro semanas num navio a vapor. Mas imagine-se um voo de seis horas tornando-se um voo de três. Isso é o supersónico."

O avião servirá como avião de negócios comercial a partir de 2028, podendo transportar 18 pessoas num único voo de distâncias máximas de cerca de 4.800 quilómetros, indica a revista Tatler. Os preços iniciais deverão ser altos, mas cairão gradualmente até aproximadamente o custo da classe executiva em um voo normal.


interior-so-s-512

Photo/ Spike Aerospace



Aeroportos da Europa vão tentar os testes rápidos COVI-19


Além disso, a aeronave terá vantagens, como um estrondo sónico baixo, e um compromisso para realizar voos com emissão zero de carbono até 2040.

"Concorde era ridiculamente ruidoso", disse Kachoria sobre o avião que deixou de voar em 2003. "A maioria das conversas entre duas pessoas estão entre 65 e 75 decibéis, e o nível de ruído encontrado na maioria das cabines de aeronaves é de cerca de 85 decibéis."

"As nossas aeronaves sem janelas serão cerca de 60 decibéis, então inferiores ao som de uma conversa. Não é necessário o uso de fones de ouvido que cancelem o ruído", explicou.

 Os primeiros testes tripulados do S-512 devem começar em 2022.


Airbus aposta em aeronaves movidas a hidrogénio e zero emissões


Referencia//SputnikNews




Sem comentários:

Enviar um comentário