quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

“Teoria dos Jogos” pode ser uma nova forma para descobrir alienígenas

A Universidade de Manchester, tendo como finalidade maximizar o potencial de encontrar vida alienígena inteligente, sugere usar uma estratégia ligada ao jogo cooperativo conhecido como “Teoria do Jogos”.

Se realmente existem civilizações alienígenas avançadas na nossa galáxia e estão a tentar comunicar connosco, o grande desafio é descobrir a melhor forma de as encontrar para os astrónomos do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence).


radio-telescopio
Photo///Gettyimages


Podem existir mais de 30 civilizações alienígenas na nossa galáxia


A “Teoria dos Jogos” é a nova estratégia que Eamonn Kerins, astrofísico do Jodrell Bank, propôs, e que pode aumentar as hipóteses de encontrar vida alienígena inteligente.

Os programas do SETI normalmente usam uma de duas abordagens. A primeira é uma profunda análise de grandes áreas do céu, na esperança de descobrir um sinal. Essa abordagem pode gerar rapidamente uma enorme quantidade de dados que podem, ser muito difíceis de analisar convenientemente. A segunda trata-se de centralizar as buscas, principalmente, e mais intensamente, em sistemas estelares determinados onde a vida possa existir.

 



Na “”Teoria dos Jogos””, existe uma classe conhecida como ‘jogos de coordenação’ que envolve dois jogadores que, para vencer, precisam de cooperar, mas sem haver comunicação entre eles. Quando estamos envolvidos no SETI, nós e qualquer civilização que esteja a tentar encontrar-nos, fazemos precisamente esse tipo de jogo. Assim, se pretendermos establecer contacto, podemos utilizar a “Teoria dos Jogos” para desenvolver uma estratégia”, explicou Kerins.

Essa ideia, Kerins chama de “Detetabilidade Mútua” afirmando devemos procurar sinais nos planetas a partir dos quais poderíamos de determinar se a própria Terra pode ser habitada.

Se houver evidências de um planeta potencialmente habitado e as civilizações de lá tiverem evidências semelhantes sobre o nosso planeta, ambos devem ser fortemente incentivados a envolverem-se no SETI, porque ambos estarão cientes de que as evidências são mútuas”, afirmou ele.

Como tal, devemos examinar planetas, cujas órbitas que passam diretamente à frente da sua estrela hospedeira, retirando-lhe luminosidade durante um breve período. Este efeito de escurecimento foi usado anteriormente para descobrir planetas. Este é o método, que os astrónomos determinam se são planetas rochosos como a Terra e se têm atmosferas com vapor de água.


Físico propõe uma explicação para o facto nunca vermos alienígenas


Se estes planetas estiverem localizados em linha com o plano da órbita da Terra, as civilizações la existentes poderão ver a Terra transitar pelo Sol e aceder ao mesmo tipo de informação sobre nós. “, concluiu Kerins.

 A zona de onde a Terra é vista em trânsito pelo Sol é conhecida como Zona de Trânsito da Terra, e estima-se que haja milhares de planetas potencialmente habitáveis ​​localizados nesta zona.

Existem potenciais perigos no envio de sinais para civilizações que poderiam ter uma superioridade tecnológica sobre nós, o que já foi alertado por alguns cientistas, como Stephen Hawking. No entanto, se todas as civilizações não enviarem sinal por causa desses riscos, não haverão sinais para detetar, o chamado Paradoxo SETI.

Acontece que as civilizações de um planeta localizado na Zona de Trânsito da Terra podem saber se o sinal do seu planeta em trânsito é mais clara para nós ou se o nosso é mais claro para eles. Faz sentido que a civilização que tem a melhor visão do outro planeta, terá mais tendência a enviar um sinal. A outra parte saberá disso e, portanto, deve observar e ouvir o sinal”, disse Kerins.



Ele também evidenciou que a grande maioria dos planetas habitáveis ​​na Zona de Trânsito da Terra devem estar em órbitas de estrelas de baixa massa, mais fracas do que o Sol, e como tal, essas civilizações teriam uma visão mais clara de nós.

A Detetabilidade Mútua sugere que os programas SETI devem concentrar-se na procura de sinais de planetas potencialmente habitáveis​, orbitando estrelas obscuras.

Em breve haverá o primeiro catálogo dos planetas que podem ser habitados por civilizações que já sabem algo sobre nós, podendo saber apenas o suficiente para serem tentados a enviar um sinal. Estes são os planetas nos quais realmente nos precisamos de concentrar. Eles conhecem a “”Teoria dos Jogos”” e esperam que estejamos a ouvir.

 


Casos de OVNIS, ainda não explicados, no Brasil


Este estudo foi publicado na revista científica TheAstronomical Journal.



Referencias//Universidade de Manchester//TheAstronomical Journal.





Sem comentários:

Publicar um comentário