quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

Novo satélite pode captar imagens até dentro de edifícios, de dia ou de noite

Há alguns meses, uma empresa chamada Capella Space lançou um satélite capaz de capturar imagens de radar nítidas de qualquer lugar do mundo, com uma resolução incrível, até mesmo através das paredes de alguns edifícios.A resolução é tão boa que se pode ver o interior de cada quarto.

E ao contrário da maior parte da enorme variedade de satélites de vigilância e observação que orbitam a Terra, o satélite “Capella 2” pode tirar fotos nítidas, de dia ou á noite, chova ou faça sol.


Visão-raio-x
Photo//Futurism




Novo teste para Covid-19 usa a câmara do smarthphone e dá o resultado em 30 minutos


Acontece que metade do mundo está à noite e a outra metade, em média, está nublado”, disse o CEO Payam Banazadeh, ex-engenheiro de sistema do laboratório de propulsão a jato da NASA, ao Futurism. “Quando se combinam os dois, cerca de 75 por cento da Terra, a qualquer momento, está nublado, de noite, ou os dois. ”

Na quarta-feira, a Capella lançou uma plataforma que permite que clientes governamentais ou privados solicitem imagens de qualquer coisa no mundo, uma capacidade que só ficará mais poderosa com a implantação de seis satélites adicionais no próximo ano. Isso é assustador do ponto de vista da privacidade? Certo. Mas Banazadeh diz que também obstrui inúmeros buracos nas formas como os cientistas e agências governamentais são atualmente capazes de monitorizar o planeta.



Há uma montanha de lacunas na maneira em como estamos observando a Terra a partir do espaço. A maioria dos sensores que usamos para observar a Terra são sensores de imagem ótica”, disse ele. “Se estiver nublado, vemos só as nuvens, não o que está acontecendo sob elas. Se não houver muita luz, temos muita dificuldade em obter uma imagem que seja útil.

Por outro lado, o Capella pode “ver” através da cobertura de nuvens e tão bem à luz do dia como na escuridão total. Isso porque, em vez de imagem ótica, ele usa radar de abertura sintética, ou SAR.

O SAR funciona de maneira semelhante à forma como os golfinhos e os morcegos navegam usando a ecolocalização. O satélite transmite um poderoso sinal de rádio de 9,65 GHz em direção ao seu alvo e, em seguida, recebe e interpreta o sinal conforme ele regressa. E como o satélite está enviando o seu próprio sinal, em vez de capturar passivamente a luz, às vezes esses sinais podem até penetrar direto na parede de um prédio, espiando o interior como a visão de raios-X do Superman.



Nessa frequência, as nuvens são bastante transparentes”, disse Banazadeh ao Futurism.Pode penetrar nas nuvens, nevoeiro, humidade, fumo, neblina. Essas coisas não importam mais. E como ele está gerando seu próprio sinal, não importa se é dia ou noite.

Capella não inventou o SAR. Mas Banazadeh diz que é a primeira empresa dos EUA a oferecer a tecnologia e a primeira no mundo a oferecer uma plataforma mais acessível para uso de clientes em potencial.

Parte do desafio neste setor é que trabalhar com fornecedores de imagens de satélite tem sido difícil”, explicou ele. “O interessado pode ter que enviar um monte de e-mails para descobrir como eles poderiam coletar as imagens que necessita para. Em alguns casos, pode ser necessário enviar um fax. ”

Outra inovação, diz ele, é a resolução na qual os satélites da Capella podem recolher imagens. Cada pixel numa das imagens do satélite equivale a um quadrado de 50 por 50 centímetros, enquanto outros satélites SAR no mercado podem atingir apenas cerca de cinco metros. Quando se trata de realmente discernir o que estamos vendo do espaço, isso faz uma grande diferença.



Capella-Space-Spot-Image-Roswell-International-Air-Center-New-Mexico-1200x675_E

Roswell International Air Center, Novo México. Imagens SAR Capella Space.


China inaugura aparelho para obter energia de fusão nuclear


As paisagens urbanas são particularmente intrigantes. Os arranha-céus projetam-se da Terra como cogumelos angulosos e fantasmagóricos, e, se olharmos com atenção, veremos que pode ver através de alguns deles. Não conseguirá na imagem abaixo porque está muito compactada, mas Banazadeh disse que a imagem original era tão detalhada que poderiamos verificar quartos individuais.

No momento, essa é a melhor resolução possível com SAR. Não por causa de limitações tecnológicas, Capella espera melhorar com os subsequentes lançamentos de satélites no futuro, mas por causa da lei dos EUA.

E, curiosamente, esse limite de resolução é o único limite que a lei coloca em serviços como o Capella. Contanto que a empresa não melhore a resolução um fio de cabelo além do que está agora, Banazadeh disse que seus satélites podem criar imagens de qualquer parte do mundo que um cliente pagante solicitar, até mesmo tecnicamente o interior de uma casa.

Esses clientes, explicou ele, podem ser agências governamentais monitorizando um exército hostil em busca de movimento ou rastreando a atividade de um aeroporto. É aí que essa visão penetrante na parede entra em jogo. Banazadeh deu o exemplo de um aeroporto onde aviões escondidos num hangar tornaram-se visíveis graças aos satélites SAR. Os clientes também podem ser cientistas que perscrutam as nuvens densas da floresta amazónica para rastrear o desmatamento, ou mesmo investidores que verificam as cadeias de abastecimento globais.



As possibilidades são imensas. E cim dois satélites SAR no mesmo alvo e eles podem realmente criar imagens de alvos em três dimensões até diferenças mínimas de altura. Banazadeh disse que um grupo já está usando esse truque para medir as quantidades petróleo armazenado em tanques de petróleo a céu aberto ou quanto está sendo extraído de uma mina a céu aberto em um determinado dia, e usando essa informação como um proxy para o valor de várias commodities. Isso também pode ajudar as autoridades a monitorizar as infraestruturas para possíveis problemas de segurança. o SAR pode rastrear o quanto o solo por acima de um túnel afunda com o tempo, por exemplo.

Estamos tornando muito fácil para pessoas com todos os tipos de experiência interagirem com uma empresa como a nossa, e isso inevitavelmente trará mais clientes que antes não podiam aceder a esse mercado”, disse Banazadeh. "Essa é a nossa esperança."


A primeira missão tripulada a Marte da SpaceX pode acontecer já em 2024


Referencia//Futurism






Sem comentários:

Publicar um comentário