domingo, 1 de novembro de 2020

O asteróide “Apophis” pode colidir com a Terra em 2068

Um novo relatório sugere que um asteróide com o nome do Deus egípcio do caos, Apophis, pode chegar perigosamente perto da Terra em 2068. 

Os cientistas que rastreiam o asteróide descobriram que ele acelerou, graças a um processo orbital chamado efeito Yarkovsky.



Asteroide-rumo-á-terra
Photo//Correio Braziliense


NASA divulga vídeo luzes ultravioleta no céu de Marte


As novas observações que obtivemos com o telescópio Subaru no início deste ano foram de tal qualidade que conseguiram revelar a aceleração Yarkovsky do Apophis", disse o astrónomo Dave Tholen, da Universidade do Havaí, num comunicado. "Elas mostram que o asteróide está afastando-se de uma órbita puramente gravitacional em cerca de 170 metros por ano, o que é suficiente para manter o cenário de impacto em 2068.

O Apophis, que Tholen e sua equipe descobriram em 2004, também deverá passar pela Terra em 2029. Felizmente, os cálculos mostraram que não há hipotese de atingir nosso planeta. Durante sua aproximação de 13 de abril de 2029, o Apophis 300 metros de largura irá se aproximar tão perto da Terra que passará entre o nosso planeta e uma rede de satélites de comunicação. Aqui está a parte mais preocupante, será visível a olho nu.



Em 2068, os astrónomos já haviam descartado a possibilidade de ele colidir com a Terra. As novas observações, no entanto, que os cientistas apresentaram numa reunião virtual da American Astronomical Society no início deste ano, revelaram uma possibilidade surpreendente, não podemos por descartar uma colisão.

Então, por que a mudança na órbita? Os asteróides absorvem a luz solar à medida que se movem no sistema solar. Para manter o equilíbrio térmico, um asteróide emitirá essa energia solar na forma de calor. Isso gera uma força que faz com que eles acelerem e, por sua vez, alterem a sua órbita.



A NASA e outras agências espaciais estão constantemente monitorizando objetos potencialmente perigosos para esses efeitos de alteração da órbita. Isso é crítico no caso de asteróides como o Apophis, que passam muito perto da Terra. Felizmente, estamos nos preparando para esse cenário exato.



 

Novo estudo indica que o Oumuamua pode ser uma tecnologia alienígena


A missão DART do próximo ano conduzirá um ensaio geral crítico em que uma pequena nave espacial colidirá com um minúsculo asteróide na tentativa de faze-lo mudar de rumo. É apenas um teste, mas dará às agências espaciais do mundo dados que poderiam ser usados ​​para construir um impedimento para asteróides que podem se encontrar em rota de colisão com a Terra.


Teoria do universo-espelho escondido no espaço-tempo


Referencia//Popular Mechanics




Sem comentários:

Publicar um comentário