sábado, 31 de outubro de 2020

Cientistas russos desenvolvem novo sistema de armazenamento seguro de hidrogénio

Cientistas da Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear MEPhI, criaram um projeto piloto para desenvolver um sistema de armazenamento avançado de hidrogénio.

Segundo seus criadores, o sistema não tem análogos no mundo e vai aprimorar a tecnologia para produzir os tanques de armazenamento de hidrogénio de estado sólido mais seguros e eficientes, informou a assessoria de imprensa da universidade.


Tanque-de-hidrogenio
Photo//Portal Energia

Carros elétricos não são a solução para as mudanças climáticas


De acordo com investigadores da Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear MEPhI, o hidrogénio é uma fonte de energia praticamente inesgotável sendo um dos pilares da energia alternativa. O formato mais seguro para armazená-lo é no estado sólido, onde é armazenado não como gás explosivo, mas como uma substância sólida na forma de hidreto de metal.

A maioria dos tanques de armazenamento de estado sólido modernos usa pós de metal finamente dispersos, mas os especialistas MEPhI estão apostando numa solução mais promissora. Eles acreditam que essa solução é o armazenamento em fita consistindo de um filme metálico muito fino. Para pesquisar esses materiais e criar a tecnologia necessária para sua produção, a equipe MEPhI desenvolveu uma planta eletrofísica multifuncional altamente inovadora.



"O armazenamento em estado sólido em geral, e o armazenamento em fita em particular, são uma direção nova e em desenvolvimento ativo. O nosso projeto permite-nos estudar de forma abrangente o comportamento do hidrogénio em filmes de metal, incluindo as características de sua dessorsão térmica, bem como examinar filmes de várias composições e analisar a dependência das suas propriedades nos parâmetros do processo de produção. Ao contrário dos seus análogos, o nosso sistema permite-nos controlar totalmente todas as condições do processo, o que nos ajudará a selecionar os melhores materiais e condições de processamento”, disse Alexander Pisarev, Professor do Instituto LaPlas do MEPhI.

A libertação do hidrogênio dentro do tanque de armazenamento é realizada por dessorção térmica, ou seja, pelo aquecimento do hidreto. Os cientistas explicaram que, ao contrário do pó de metal, que tem baixa condutividade térmica, a fina película de metal pode ser aquecida rapidamente por meio de uma corrente eletrica. Isso torna o armazenamento em fita muito mais conveniente do que o armazenamento em pó e aumenta a eficiência do gerador de hidrogénio.



Os cientistas do MEPhI explicaram que na maioria dos métodos a produção de filmes e seu "carregamento" com hidrogénio são duas etapas distintas. No entanto, disseram que a nova fábrica ajudará a pesquisar a possibilidade de deposição simultânea de metal e gás, o que permitirá uma grande economia de recursos e de tempo.

"Normalmente, primeiro aspergimos os filmes no substrato e depois os saturamos com hidrogénio no gás em alta pressão. Acreditamos que os filmes saturados com hidrogénio podem crescer pulverizando um metal ativo de hidrogénio numa atmosfera de hidrogénio, resultando num produto imediato pronto para instalação num cartucho de combustível. O plano nos ajudará a entender isso e uma série de outras questões na pesquisa de sistemas de armazenamento de hidrogénio baseados em fita ", explicou Alexander Pisarev.

O processo de investigação está a ser realizado com a participação ativa de estudantes e jovens especialistas do MEPhI.


Cientistas encontram uma maneira de produzir hidrogénio 25 vezes mais eficiente


Referencia//SputnickNews




Sem comentários:

Publicar um comentário