segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Rússia vai utilizar foguetes reutilizáveis, seguindo o exemplo da SpaceX

A empresa espacial russa Roscosmos encomendou uma avaliação económica para saber se as operações podem ser retomadas na base flutuante Sea Launch, de propriedade da S7 AirSpace Corporation, regressando aos lançamentos planeados para 2024.

A empresa de tecnologia e pesquisa que faz parte da S7 AirSpace Corporation, dona da plataforma flutuante Sea Launch, começou a trabalhar para desenvolver um veículo de lançamento leve com um primeiro estágio reversível.



Sea-Launch
Photo//Flickr / Daniel Ramirez


NASA contruiu um novo sistema seguro para pousar na Lua e em Marte


Começamos a desenvolver um veículo de lançamento de foguetes de combustível líquido de dois estágios com um primeiro estágio reversível”, anunciou a empresa em um comunicado à imprensa.

As obras estão a decorrer desde 2019, diz o comunicado, acrescentando que, no futuro, a experiência adquirida será empregada no fabrico de um foguete de classe média para plataforma marítima.

O Sea Launch é o principal ativo do S7, com a empresa alimentando ambiciosas esperanças de competir com a SpaceX de Elon Musk, criando seu próprio veículo de lançamento no processo.

Em maio de 2020, foi relatado que um foguete Soyuz-7, para lançamentos da base flutuante Sea Launch, foi desenhado para ser equipado com o novo estágio superior Fregat-SBU, de acordo com o diretor-geral do desenvolvedor do estágio superior, da  Associação de Pesquisa e Produção de Lavochkin , Vladimir Kolmykov.


No final de 2020, o desenvolvimento de um projeto preliminar estará concluído. O primeiro lançamento do estágio superior Fregat-SBU usando o veículo lançador Soyuz-7 está planeado para ser realizado em 2025 ", disse Kolmykov.

Anteriormente, a corporação espacial russa Roscosmos havia anunciado que avaliaria os custos de retomar a operação de Lançamento Marítimo em comparação com os custos de reparação da base flutuante, na esperança de que os lançamentos começassem novamente em 2024.

Em 2018, o grupo de empresas S7 tornou-se o legítimo proprietário da plataforma de lançamento marítima Sea Launch, desativada desde 2014, anunciando previamente que desenvolveria o seu próprio veículo lançador.

Foi usado para enviar quase três dezenas de satélites comerciais em órbita entre 1999 e 2014. Mas em 2014 a joint venture foi abandonada, com tudo o que era americano e ucraniano removido da plataforma e transferido para a Rússia.


 

Nave espacial chinesa lançou objeto misterioso no espaço


A base foi comprada em abril de 2018 pela companhia aérea privada russa e empresa aeroespacial S7 Group, e atualmente está no Extremo Oriente da Rússia.

De acordo com o chefe da Roscosmos Dmitry Rogozin, o foguete Soyuz-5 (Irtysh) será utilizado para os lançamentos, com o primeiro teste de lançamento previsto para 2023. O lançamento ocorrerá no cosmódromo de Baikonur.

 

Novo motor espacial poderá permitir viajar perto da velocidade da luz


Referencia//SputnikNews




Sem comentários:

Publicar um comentário