sábado, 26 de setembro de 2020

Está para breve o maior avião a hidrogénio do mundo

O hidrogénio está verdadeiramente em ascensão como o combustível do futuro da aviação, com emissões zero, tendo a Airbus anunciado sua iniciativa ZeroE para produzir aviões de passageiros a hidrogénio até 2035

Mas isso ainda está muito longe, e os inovadores estão pressionando para colocar as aeronaves H2 comercialmente muito mais cedo.



Dash-8
Dash-8 Q300 //Photo//Wkkiimedia Commons

O avião de longa distância, Flying V, faz seu primeiro voo


Uma nova startup de logística de combustível com sede em LA, Universal Hydrogen, entrou num projeto para desenvolver um trem de força a hidrogénio adaptável aos aviões existentes e irá testá-lo com um De Havilland Canada DHC8-Q300 de 40 lugares, conhecido como Dash-8 , que se tornará a maior aeronave comercial movida a hidrogénio do mundo.

A Airbus planeia usar hidrogénio como combustível de combustão em turbinas a gás modificadas, mas a Universal está desenvolvendo um trem de força de célula de combustível totalmente elétrico completo com motores elétricos Magnix para acionar os dois turboélices do Dash-8. A Magnix tem alguma experiência, depois de fornecer energia à maior aeronave elétrica do mundo no início deste ano, um Cessna 208B Grand Caravan reformado de nove lugares, que fez seu primeiro voo em maio.



O Dash-8 movido a hidrogénio da Universal usará um par de motores elétricos Magnix de dois megawatts, oferecendo um pouco mais de potência do que o par padrão de motores turboélice Pratt & Whitney de 1.860 kW oferece. O hidrogeno atuará como uma bateria, produzindo eletricidade ao passar pelas células de combustível da aeronave.

De acordo com a AINOnline , a capacidade de 56 lugares do avião padrão é reduzida para 40 por causa dos grandes módulos de hidrogénio que substituirão as últimas fileiras de assentos. O alcance será de cerca de 400 milhas náuticas (740 km) mais a reserva de hidrogénio gasoso, o que significa que o hidrogénio Dash-8 pode servir cerca de 75 por cento das rotas dos Dash-8 atuais, e uma vez que um sistema de hidrogénio líquido seja implementado, esses números devem subir para 550 milhas náuticas ( 1.020 km). O abastecimento será feito por equipamento padrão de carregamento de carga ou até mesmo por empilhadoras. A Universal está tratando o hidrogénio combustível como carga seca a ser carregada em módulos de 2 m de comprimento e 0,9 m de diâmetro.


Virgin Galactic avança com projeto para um avião supersónico de passageiros


A Universal acredita que pode colocar este projeto em serviço comercial logo em 2024, com preços de passageiros não superiores aos das viagens normais do Dash-8, apesar dos assentos limitados e do combustível exótico. A empresa diz que há cerca de 2.200 aeronaves Dash-8 compatíveis operando globalmente que poderiam ser adaptadas e está trabalhando no desenvolvimento de um sistema que possa ser incorporado em novos projetos de aeronaves.

A alta densidade de energia do combustível de hidrogénio, bem como o fato de que existem muitas maneiras diferentes de produzi-lo, tornam-no muito mais adequado para uso em aviação sensível ao peso do que as baterias de lítio. Como parte dessa iniciativa, a Universal terá que provar a segurança de um trem de força de célula de combustível de hidrogénio, incluindo testes de queda, explosão e ventilação nos módulos de combustível, devendo estes estes fornecer uma resposta às afirmações dos críticos de que o hidrogénio é  mais perigoso do que o combustível de aviação.


Novo avião a hélice, de luxo, com velocidade de um jato e o consumo de um carro


Referencia//NewAtlas


Sem comentários:

Publicar um comentário