quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Descoberta nova extinção em massa ocorrida há 233 milhões de anos

A Extinção em massa que ocorreu na Terra há 233 milhões de anos contribuiu para ascensão dos dinossauros

Gigantescas erupções vulcânicas no Canadá podem ter sido responsáveis pela mudança climática, que originou a extinção de muitas das espécies de plantas e animais.

Uma equipa internacional de cientistas identificou um evento antes desconhecido de extinção massiva da vida na Terra, que ocorreu há 233 milhões de anos e que desencadeou a ascensão dos dinossauros, segundo estudo publicado na revista Science Advances.



Paisagem-vulcanica
Photo//Pixabay//enriquelopezgarre


A sexta extinção em massa da Terra está em rápida aceleração


O estudo, dirigido por Jacopo Dal Corso, da Universidade de Geociências da China, em Wuhan, e Mike Benton, da Faculdade de Ciências da Terra da Universidade de Bristol, revisaram as evidências geológicas e paleontológicas para determinar o que aconteceu durante o período de crise denominado Evento Pluvial Carniano.De acordo com os especialistas, provavelmente as causas do evento foram as erupções vulcânicas em grande escala, na província de Wrangellia, no oeste do Canadá, onde foram derramadas enormes quantidades de lava, que formaram parte da costa ocidental da América do Norte. As erupções foram tão grandes que os gases do efeito de estufa, como o dióxido de carbono, geraram picos de aquecimento global.




Os fenómenos naturais e a mudança climática provocaram uma grande perda de biodiversidade nos oceanos e continentes.Muitas espécies de plantas e animais morreram, acabando por desaparecer completamente. Porém, posteriormente, este fenómeno de extinção abriu caminho para novas espécies, que formaram os ecossistemas mais modernos. 

"Agora sabemos que os dinossauros surgiram aproximadamente 20 milhões de anos antes desse evento, porém permaneceram relativamente raros e sem importância até ocorrer o Evento Pluvial Carniano", comentou Mike Benton.

As mudanças no clima levaram ao crescimento da vida vegetal e à expansão das modernas florestas de coníferas. A nova flora provavelmente proporcionou mais alimento para os répteis herbívoros sobreviventes. Esse período húmido durou aproximadamente um milhão de anos e contribuiu para a ascensão dos dinossauros. Os especialistas explicaram que o fenómeno não apenas beneficiou os dinossauros como também originou muitos grupos modernos de plantas e animais, incluindo algumas das primeiras tartarugas, crocodilos, lagartos e mamíferos.


Nos últimos 50 anos, o planeta perdeu dois terços da vida selvagem


Além disso, as novas condições do clima tiveram impacto na vida marinha, marcando o começo dos recifes de coral, bem como de novos tipos de plâncton, o que pode ter provocado mudanças profundas na química do oceano.

 Até o momento, foram identificadas cinco grandes extinções em massa nos últimos 500 milhões de anos.

"Cada uma delas teve um efeito profundo na evolução da Terra e da vida. Identificamos agora outro grande evento de extinção, e, evidentemente, ele teve um papel fundamental em ajudar a restabelecer a vida na terra e nos oceanos, originando os novos ecossistemas", concluiu Jacopo Dal Corso.


Professor do MIT afirma que a extinção da humanidade está iminente


Referencia//Techexplorist




Sem comentários:

Publicar um comentário