segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Cientistas alertam que eventos climáticos extremos estão piorando

 São os incêndios florestais que de propagam na Costa Oeste e os furacões ameaçando o Sudeste, pode ser difícil separar o que é resultado da mudança climática e da degradação ambiental, e o que é apenas uma maré de azar.

Alguns especialistas estão alertando, para o facto do que estamos vivendo são os primeiros dias de condições climáticas extremas e incêndios cada vez mais letais.


Furacão Laura//Photo Divulgação/ National Hurricane Center


Nos últimos 50 anos, o planeta perdeu dois terços da vida selvagem


Vai ficar MUITO pior”, disse Kim Cobb, cientista climático da Georgia Tech, à Associated Press sobre os incêndios florestais da Califórnia. “Digo isso com ênfase porque desafia a imaginação. E essa é a coisa que mais assusta um cientista do clima em 2020 ”.

Na mesma história, o ex-cientista-chefe da NASA Waleed Abdalata, agora na Universidade do Colorado, avançou. “Acredito fortemente que vamos olhar para trás dentro de 10 anos,  20  ou 50 e dizer: 'Uau, 2020 foi um ano louco, mas sinto saudades desse tempo”, disse Abdalati.

A Weather.com colocou a mesma questão sobre se as catástrofes de 2020 poderiam ser sinais do que estava por vir, e chegou a uma conclusão semelhante.

Ela reuniu uma série de notícias meteorológicas extremas, a década mais quente da história registada, nevões assustadoramente precoces, a onda de calor da Califórnia e incêndios que transformaram o céu da Bay Area numa laranja doentia.



Esses são fenómenos que devemos esperar que ocorram sempre mais e mais, na medida em que a mudança climática afeta mais profundamente nosso clima e as extremidades que ela cria em nosso clima”, afirmou Jeff Schlegelmilch, diretor do Centro Nacional de Preparação para Desastres da Universidade de Columbia, o que teve a concordância de Jonathan Belles, meteorologista da Weather.com.

À medida que as temperaturas aumentam, os fenômenos da estação quente, como secas, incêndios florestais e ondas de calor devem piorar tanto em intensidade como em duração.”, disse ele. “O aumento das temperaturas vai secar o solo e a flora, o que levará lentamente a um ciclo de feedback positivo de temperaturas mais quentes, depois menos chuvas, depois temperaturas mais quentes e assim por diante.”

Concluindo, os cientistas do clima estão dizendo que sentem como se as coisas sobre as quais vêm alertando há anos finalmente estivessem se tornando realidade.

“Parece que é sobre isso que sempre estávamos falando há uma década”, disse a climatologista do estado da Carolina do Norte Kathie Dello. “Muitas pessoas querem culpar 2020, mas o ano não tem culpa. Conhecemos o comportamento que causou a mudança climática.


Buraco gigante aparece na Sibéria, um fenómeno dramático cada vez mais comum


Referencia//JapanTimes




Sem comentários:

Publicar um comentário