quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Cientistas russos descobrem um novo tratamento para a COVID-19


Investigadores da Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear MEPhI criaram uma instalação de LED para tratar doenças graves com segurança, incluindo a COVID-19, disse o serviço de imprensa da universidade.
A instalação, criada por alunos de pós-graduação do Instituto de Engenharia Física para Biomedicina do MEPhI, Artem Shabanov, Denis Glechik e Alexei Nekhoroshev, é baseada no método fotodinâmico, onde as grandes superfícies do corpo são irradiadas com luz de espectro vermelha. O método foi desenvolvido anteriormente no instituto para diagnosticar e tratar tumores, disse Victor Loshchenov, chefe do Departamento de Laser Micro, Nano e Biotecnologias do MEPhI.


Maneira-russa-para-tratar-covid
Photo//Sputnik / Ilya Pitalev

Os voluntários que testaram a vacina russa covid-19 desenvolveram imunidade



Esta é uma das mais novas terapias com fotossensibilizadores. Eles são injetados no corpo do paciente, onde são capturados pelo vírus e, sob a influência da radiação, o matam. Os fotossensibilizadores desativam as células imunocompetentes responsáveis ​​pela tempestade de citocinas, evitando assim a reação mortal do sistema imunológico ao vírus. A técnica fotodinâmica é altamente eficiente e tem um número mínimo de efeitos colaterais. Ela praticamente não tem contra indicações”, disse Victor Loshchenov.
Segundo Loshchenov, até hoje não houve nenhuma instalação que permitisse a irradiação com potência e densidade de energia suficientes sem prejudicar o paciente. Os sistemas existentes tinham uma potência de 1,5 W, mas não bastava: era necessário aumentar a potência em quase 10 vezes, pelo menos para 12 W.




O trabalho não foi fácil. Institutos e laboratórios foram fechados por causa da pandemia. Os alunos da graduação transferiram as impressoras 3D para seus dormitórios, tudo era discutido online. Eles não só desenvolveram, mas também fabricaram dispositivos de 12 W, de acordo com rígidos requisitos de segurança médica. Os dispositivos foram instalados imediatamente na Sechenov First Moscow State Medical University ", explicou Victor Loshchenov.
Ele disse que mais de 40 pacientes com COVID-19 receberam o novo tratamento. Logo após a irradiação, os pacientes apresentaram aumento da saturação de oxigênio, as dores nos pulmões desapareceram e o olfato voltou. Este grupo de pacientes recuperou muito mais rápido do que os pacientes que não receberam radiação.


Poluição do ar mata mais que o Covid-19


"No programa de mestrado em fotónica biomédica do Institute of Engineering Physics for Biomedicine, ensinamos a usar a tecnologia laser, espectroscópica e fluorescente de vídeo em pesquisas biomédicas, bem como no tratamento de pacientes. Treinamos desenvolvedores de novos métodos de diagnóstico e dispositivos médicos de alta tecnologia para tratar e prevenir câncer, doenças autoimunes e virais, arteriosclerose e infeções resistentes a antibióticos. Também treinamos especialistas no diagnóstico e tratamento de pacientes com nossos dispositivos ", disse Viktor Loshchenov.
Ele acrescentou que hoje, centenas de dispositivos médicos de alta tecnologia desenvolvidos no laboratório do GPI, onde está localizado o Instituto de Engenharia Física para Biomedicina e onde são ministradas palestras e aulas práticas, foram instalados em instituições médicas russas . Ao mesmo tempo, existe uma grande escassez de especialistas que possam usar todas as suas capacidades em seu trabalho.



O coronavírus pode não ter origem na China

Referencia//SputnikNews


Sem comentários:

Publicar um comentário