domingo, 19 de julho de 2020

Um novo oceano está surgindo na África devido ao afastamento das placas tectónicas

Dados obtidos por satélite ajudam cientistas a estudar fenda tectónica na África onde novo oceano deverá surgir daqui a cerca de cinco milhões de anos.
O local em questão é a região de Afar, no leste da África, considerada uma das áreas mais quentes do planeta. Em 2005, formou-se ali uma enorme fenda, que tem crescido, tendo agora cerca de 56 quilómetros de comprimento, recordam os cientistas.



afastamento-das-placas-tectonicas-etiopia
O afastamento das placas tectónicas gerou uma fenda no solo.
Photo: 
University of Rochester

Mudanças climáticas podem extinguir 60% das espécies de peixes


De acordo com eles, por baixo da região árida o continente africano provavelmente está se dividindo.
Esta extensão desolada se localiza por cima da junção de três placas tectónicas (a somali, a arábica e a núbia), que estão se afastando lentamente umas das outras, dando lugar a um processo geológico que dividirá a África em duas e formará um novo oceano daqui a cinco milhões ou dez milhões de anos.
"O golfo de Áden e o mar Vermelho irão inundar a região de Afar, e o vale do Rift, formando um novo oceano. Aquela parte da África Oriental tornar-se-á num pequeno continente separado", declarou à NBC News Ken Macdonald, geofísico marinho e professor emérito da Universidade da Califórnia, EUA.



Comentando o assunto aos órgãos de informação, o doutorando Christopher Moore da Universidade de Leeds (Reino Unido) disse: "Este é o único lugar da Terra onde se pode estudar como uma fenda continental se transforma uma fenda oceânica."
A afirmação do especialista foi feita com base em medições dos satélites que monitorizam a atividade vulcânica no Leste da África, que está associada com a separação do continente.
O fenómeno do distanciamento entre as placas, em particular a arábica, deu origem ao mar Vermelho e ao golfo de Áden.
Embora os cientistas estimem a futura formação de um novo oceano, ainda não há certeza sobre a causa de tal fenómeno, acreditando-se porém, que isso acontece porque rochas superquentes oriundas do manto sob a África Oriental estão subindo em direção à superfície terrestre.


Mudanças climáticas podem extinguir 60% das espécies de peixes

Referencia//SputnikNews


Sem comentários:

Publicar um comentário