quarta-feira, 22 de julho de 2020

Como os químicos afetam a nossa saúde


Obesidade, infertilidade e baixo QI são apenas algumas das maneiras pelas quais os produtos químicos domésticos prejudicam nossa saúde.
Uma nova análise publicada na Lancet Diabetes and Endocrinology, indica que um número crescente de produtos químicos domésticos que causam desregulação endócrina está associado a problemas de saúde generalizados, incluindo infertilidade, diabetes e baixo desenvolvimento cerebral. Os investigadores examinaram centenas de estudos publicados nos últimos cinco anos para chegar a suas conclusões, que também incluem a listagem do PFAS como um desregulador endócrino.



comida-industrializada
Photo//Entrerefeiçoes

Peixe vegetariano pode ser alternativa á carne



Um dos principais catalisadores do crescente interesse em averiguar quais os produtos químicos que perturbam o estudo foi o de 2015,  encomendado pela Endocrine Society, que levou à identificação de 15 problemas de saúde diferentes que foram associados a desreguladores endócrinos. Em 2017, as Nações Unidas publicaram uma lista de 45 produtos químicos conhecidos que mostram estudos que afetam as hormonas, incluindo os encontrados em pesticidas, o revestimento de latas de alumínio, cosméticos e eletrônicos.
Mas nenhum desses estudos incluiu informações sobre um grupo de produtos químicos que os cientistas entendem muito melhor agora do que antes: Os PFAS.


O grupo de produtos químicos, vulgarmente conhecido como PFAS, é usado para fornecer toneladas de utensílios domésticos que variam de panelas e frigideiras antiaderentes a embalagens de alimentos. Os produtos químicos são um grande problema, porque são cada vez mais encontrados em algumas reservas de água potável  e são chamados de produtos químicos "eternos" porque não desaparecem. A nova análise mostra que existem amplas evidências de que PFAS são desreguladores endócrinos.
Os autores também analisaram outros produtos químicos desreguladores endócrinos listados anteriormente, incluindo vários produtos químicos usados ​​em pesticidas, além de bisfenóis, que são um grupo de produtos químicos usados ​​na fabricação de plásticos e outros produtos. 

As mortes por COVID-19 podem estar ligadas à deficiência de vitamina D


Eles descobriram que nos últimos cinco anos, os cientistas vincularam esses produtos químicos a uma lista de problemas de saúde cada vez mais longa. Nos últimos cinco anos, houve evidências ligando os produtos químicos a 17 outras condições médicas, incluindo obesidade, endometriose dolorosa e síndrome dos ovários policísticos, que é uma causa significativa de infertilidade.
Os autores afirmam que a nova síntese também encontrou pesquisas emergentes vinculando a exposição ao PFAS, bisfenóis e alguns pesticidas à produção de sêmen infértil, enquanto outros estudos associaram retardadores de chama e pesticidas com desregulação endócrina a preocupações com a saúde mental, como perda de QI e deficit de atenção, e transtorno.





Isso tudo apenas fornece mais evidências de que precisamos controlar o uso desses produtos químicos. Mas os EUA estão fazendo um péssimo trabalho nisso. Numa análise complementar  publicada na ultima terça-feira, os cientistas observam que os regulamentos atuais visam apenas limitar a exposição a grandes doses de produtos químicos, o que não é nem de longe bom o suficiente.
"Vários estudos revisados ​​por pares documentaram efeitos consistentes em níveis baixos", disse Leonardo Trasande, professor de medicina ambiental e saúde da população na NYU School of Medicine e principal autor das duas novas análises.
Para remediar isso, os autores pedem que os EUA revisem sua abordagem para regular esses produtos químicos. Trasande disse que poderia seguir a União Europeia, que fez um trabalho melhor. Os países poderiam estabelecer um programa internacional para identificar os perigos. Dessa forma, o mundo pode efetivamente regulá-los antes que cheguem ao mercado.




Como fortalecer o seu sistema imunológico em tempos de coronavírus


Referencia//Gizmodo


Sem comentários:

Publicar um comentário