sábado, 11 de julho de 2020

Cientistas identificam estranhos objetos astronómicos circulares


Recorrendo a telescópios, uma equipa de astrofísicos detetou quatro estranhos objetos astronómicos. Foram encontrados nos comprimentos de onda de rádio e são circulares e mais brilhantes do que as suas bordas.
Estes estranhos e inesperados objetos são diferentes de quaisquer outros já observados, não parecendo corresponder a nenhum tipo de objeto já identificado e classificado pela comunidade científica.


ORC
Photo//YouTube / SciTech Daily


Os objetos, assemelham-se a ilhas em forma de anel, e foram batizados de círculos de rádio estranhos (ORC, na sua sigla em inglês).
Os astrónomos e astrofísicos não sabem ainda qual a distância que estão estes objetos, mas acreditam que possam estar ligados a galáxias distantes. Todos os corpos em causa foram detetados longe do plano galático da Via Láctea.
Têm cerca de um arco-minuto de diâmetro. A título de comparação, o nosso satélite natural, a Lua, tem 31 arco-minutos de diâmetro.




Num artigo, disponível em pré-publicação no portal Arxiv.org, carecendo ainda de revisão de pares, os cientistas apontam algumas explicações para estes objetos, apesar de nenhuma delas encaixar nos quatro corpos encontrados.
Antes de avançar com possíveis explicações, os cientistas descartam objetos como supernovas, galáxias formadoras de estrelas e lentes gravitacionais. Pondo de parte estas hipóteses, os astrónomos especulam que os objetos possam ser ondas de choque de alguns eventos extragalático ou possivelmente atividade de uma galáxia de rádio.


ORCs

Força Espacial dos EUA lança naves espaciais secretas


Podem muito bem apontar para um fenómenos que ainda não investigamos“, disse ao mesmo portal Kristine Spekkens, astrónoma do Royal Military College do Canadá e da Queen’s University, que não participou na nova investigação.
No entanto, frisa, pode ser uma coisa totalmente diferente. “Também pode ser que estes corpos sejam uma extensão de uma classe de objetos conhecida anteriormente mas que não fomos capazes de explorar”.


Stereo registou um objeto enorme atravessando o Sistema Solar


Referencia//LiveScience



Sem comentários:

Publicar um comentário