terça-feira, 30 de junho de 2020

OMS adverte que o pior da pandemia de Covid-19 pode estar para vir

O líder da OMS, Tedros A. Ghebreyesus, afirmou que o coronavírus ainda infetará muito mais caso os governos resistam na implementação das políticas corretas.
A mensagem é clara: “Exame, rastreamento, isolamento e quarentena”, afirmou Ghebreyesus.
Mais de 10 milhões de já foram infetados por todo o mundo desde que o vírus Sars-CoV-2 apareceu na China no fim de 2019. O número real de infetados possivelmente é bem maior já que em inúmeras localidades, como no Brasil, os testes são limitados e quase impossiveis.



Pandemia
Photo//Brasil Escola/Uol

As máscaras de tecido precisam de 3 camadas específicas para serem eficazes, afirma a OMS


Já ultrapassamos 500 mil mortes no mundo por Covid-19. Metade dos casos ocorreram na Europa e EUA, mas o coronavírus tem se espalhando rapidamente nas Américas.
O sul da Ásia e da África também têm sido seriamente afetados pelo coronavírus, onde talvez atinja o pico até o fim de julho.
O Dr. Tedros afirmou numa conferência de imprensa virtual nesta segunda-feira: “Todos nós queremos que isso acabe. Todos queremos prosseguir com nossas vidas. Mas a dura realidade é que isso não está sequer perto de acabar.” “Embora vários países tenham feito certo progresso, globalmente a pandemia está realmente aumentando”.
Agora, com 10 milhões de casos confirmados e meio milhão de mortes, a menos que abordemos os problemas que já identificamos na OMS, a falta de unidade nacional e a falta de solidariedade global e o mundo dividido que está realmente ajudando o vírus a se espalhar … o pior ainda está por vir “, disse ele.




Lamento dizer isso, mas com esse tipo de ambiente e condições, tememos o pior.”
Tedros também solicitou que mais governos façam como o Japão, a Alemanha e a Coreia do Sul, que mantêm seus surtos controlados com políticas que incluam exames e rastreamentos rigorosos.
Quais são os países mais afetados?
Os EUA confirmaram mais de 2,5 milhões infetados e aproximadamente 126 mil mortes com o Covid-19 até o momento, mais do que qualquer outra nação.
Estados dos EUA que afrouxaram o isolamento nas últimas semanas, principalmente no sul do país, relataram acentuado aumento de novos casos de infeções recentemente.
O aumento fez com que o estado da Flórida, Texas e outros tenham reposto as restrições aos negócios.
O segundo país com o maior número de casos confirmados é o Brasil, totalizando 1,3 milhões e mais de 57 mil mortes.


OMS divulga novas orientações sobre o uso de máscara


Nesta segunda-feira, foi declarado estado de emergência em Brasília, devido ao aumento significativo de casos na região.
Estima-se que a causa do pico de casos se deva ao retirar e afrouxar das restrições como ocorreu na maioria dos estados e municípios brasileiros no início deste mês que permitiram a reabertura de comércios.
O local com o maior número de mortes na Europa Ocidental foi o Reino Unido. O prefeito da cidade de Leicester afirmou que bares e restaurantes podem continuar fechados por mais duas semanas por causa do aumento de casos.
Restrições no resto da Inglaterra devem ser reduzidas no fim de semana, com a autorização para reabertura de restaurantes, bares, hotéis e cabeleireiros.


Nova análise genética confirma que a Covid-19 já estava se espalhando no mundo em 2019


Referencia//BBCNews




Sem comentários:

Publicar um comentário