sábado, 13 de junho de 2020

Amostras de Marte trazidas para a Terra podem desencadear pandemias

As agências estatais e o setor privado, estão empenhadas nas missões de Marte envolvendo seres humanos, com por exemplo, o engenheiro bilionário Elon Musk, que tem o objetivo de enviar seres humanos para o Planeta Vermelho até 2024.
Como a NASA e o empresário de tecnologia Elon Musk pretendem enviar seres humanos para Marte nos próximos anos e obter amostras cruciais e traze-las para a Terra, especialistas em espaço alertaram que pode ser perigoso, podendo causar estragos irreversíveis no nosso planeta e potencialmente causando novas pandemias.




Marte
Photo//Pixabay//GooKingSword



O Dr. Barry DiGregorio, investigador do Centro de Astrobiologia da Universidade de Buckingham, pediu à NASA para avaliar as amostras num outro lugar longe da Terra, por exemplo, num laboratório na Lua.
"Aqueles na NASA que defendem trazer amostras de Marte para a Terra nem sequer consideraram a existência de organismos que mudariam nosso equilíbrio organizacional global assim que cá se instalassem", explicou ele ao Daily Star , insistindo que os resultados poderiam ser totalmente imprevisíveis.
"É como se aqueles que defendem trazer amostras de Marte equiparassem a falta de conhecimento à ausência de perigo", continuou ele, sugerindo que todos os microorganismos marcianos ainda desconhecidos podem é assumir que as formas de vida da Terra são fonte de alimento e usa-las para se alimentar.


"Se tivessem aminoácidos muito semelhantes aos terrestres e gostassem de alguns dos mesmos compostos de carbono pequenos, isso seria suficiente para nos tornar atrativos para eles".  DiGregorio retratou um dos cenários, resumindo que "seria muito melhor estudar qualquer vida em Marte com inúmeras missões para deteção de vida ".
No entanto, ele não descartou completamente a transferência das amostras do Planeta Vermelho.
"Se forem trazidas amostras de Marte, pelo menos examinem-mas numa instalação de bio-isolamento especialmente projetada na Lua antes que qualquer amostra seja transportada para a Terra".
Seu colega acadêmico, Dr. Gilbert Levin, engenheiro e investigador da missão Viking de 1976 da NASA, compartilha a mesma posição, dizendo que formas de vida já foram encontradas em Marte, mas as informações foram ocultadas ao público.
"Há uma hipótese muito real da existência a de  microorganismos  em Marte", disse Levin ao Daily Star.




Ele acredita que se trazido para a Terra, não importa em que recipientes, é altamente provável que eles escapem para o meio ambiente da Terra ", assim como os microorganismos escaparam de todos os pousos espaciais na Terra, inclusive dos astronautas que foram á Lua".
Ele passou a alertar sobre os perigos que patogénicos desconhecidos carregam:
"Assim, os organismos patogênicos podem ser libertados e atacar-nos e ao nosso ambiente. A pandemia do COVID-19 é uma indicação muito adequada do que pode acontecer"
A 17 de julho, como parte de seu grande Programa de Exploração de Marte, a NASA lançará seu rover Mars 2020 Perseverance, projetado para entender melhor a geologia de Marte e buscar sinais de vida antiga no Planeta Vermelho, de acordo com um comunicado da NASA .
O rover partirá no foguete United Launch Alliance Atlas V 541 do Space Launch Complex 41 na Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida.
Separadamente, quando se trata do setor espacial privado, o SpaceX de Elon Musk deve enviar um foguete de carga para Marte até 2022, e com humanos numa segunda missão em 2024.

Referencia//SputnikNews



Sem comentários:

Publicar um comentário