sexta-feira, 29 de maio de 2020

O coronavírus não começou no mercado de Wuhan


Os primeiros relatórios culparam um mercado onde são vendidos animais vivos, mas as evidências agora mostram que eles estavam errados. O primeiro caso de SARS-CoV-2 não emergiu de um mercado de Wuhan, de acordo com especialistas do Instituto de Virologia de Wuhan (WIV).
Em vez disso, o mercado de animais vivos pode ter sido o local de uma super propagação, onde uma pessoa espalhou o vírus a muitas outras pessoas, disse um especialista norte-americano à Live Science.



Mercado-de-Wuhan
Photo//Seu dinheiro

Kit de teste rápido e barato para COVID-19, em breve no mercado



Desde os primeiros dias da pandemia de coronavírus, os relatórios sugerem que o SARS-CoV-2 (o vírus que causa o COVID-19) passou de animais para humanos no Huanan Seafood Wholesale Market de Wuhan . Agora, especialistas da WIV disseram publicamente que a teoria estava errada e que o vírus deve ter se originado em outro lugar, de acordo com um relatório do Wall Street Journal.
"Não vi nada que me faça pensar, como investigadsor que estuda a doenças zoonóticas , que esse mercado é uma opção provável", disse Colin Carlson, professor da Universidade de Georgetown que estuda a disseminação desses vírus zoonóticos, que transmitem entre animais e humanos. Carlson não trabalha para a WIV.


A teoria era plausível, disse ele. Para que um vírus passe de animais para humanos, o hospedeiro precisa entrar em contato com humanos em algum lugar. E os vírus frequentemente saltam de um animal para outro antes de chegar á população humana. De fato, o genoma do SARS-CoV-2 está mais relacionado aos coronavírus isolados de morcegos-ferradura na China. A partir daí, os cientistas suspeitam que o vírus tenha passado para outro animal e depois para os seres humanos. Mercados de animais, onde muitas espécies diferentes de animais vivos estão agrupadas e muitos humanos entram em contato com eles, oferecem oportunidades para esse tipo de transmissão. O surto de outro coronavírus, chamado SARS, começou num mercado semelhante em 2002, depois que o vírus se espalhar de morcegos para civetas.

Isolamento social associado a surtos mais graves de COVID-19



Vários casos iniciais do surto em Wuhan foram relacionados ao mercado de frutos do mar. Mais tarde, os pesquisadores recolheram amostras ambientais que sugeriam que o vírus havia chegado ao mercado. Mas desde então, amostras de tecido de animais do mercado não revelaram vestígios do vírus. Para que o vírus passe dos animais para os seres humanos, os animais precisam realmente te-lo.
"Nenhum dos animais apresentou resultado positivo. Então, desde janeiro, isso não foi realmente conclusivo. Mas isso transformou-se em história", disse ele.
Carlson disse que os seus colegas na China foram cuidadosos e precisos no seu trabalho, publicando dados de acordo com as regulamentações internacionais que qualquer cientista em qualquer lugar do mundo pode examinar, e isso apoia fortemente a conclusão de que o Mercado de Frutos do Mar de Wuhan não era a fonte do vírus.




Uma das razões pelas quais essa ideia ganhou tanta força é que ela se encaixa nos esforços de conservação. Muitos mercados destes vendem animais exóticos, em perigo e altamente traficados, como os pangolins. E seria uma vitória para a conservação dos animais, disse ele, se mercados como este fossem fechados após serem responsabilizados pela doença. Mas isso não significa que a evidência esteja lá.


"Este é um vírus de origem animal que saltou, talvez de morcegos para humanos, talvez através de outro animal, talvez através de gado. E ainda não temos os dados para saber onde ou como", disse ele. "Isso leva tempo. O estudo que realmente mostrou definitivamente os morcegos de que a SARS veio foi publicado em 2017", aproximadamente 15 anos após o primeiro surto.
"Demorou tanto tempo para percorrer cavernas, recolher amostras e construir uma base de evidências onde pudéssemos dizer com confiança:'Esse era o tipo de morcego, nesta caverna, neste momento", disse Carlson.
Então, quando saberemos com certeza de onde veio o SARS-CoV-2? A exclusão de um sitio levou alguns meses. Encontrar o ponto de origem definitivo provavelmente levará muito mais tempo, disse ele.


Médico dos EUA compartilha sete conselhos para lidarmos com a pandemia

Referencia//LiveSicence




Sem comentários:

Publicar um comentário