domingo, 24 de maio de 2020

Médico dos EUA compartilha sete conselhos para lidarmos com a pandemia

Agora que voltamos a ter algum grau de normalidade após semanas de distanciamento social, são necessário alguns cuidados para não corrermos riscos. 
William Petri, Professor de Medicina, Universidade da Virgínia e imunologista, compartilha as suas opiniões das formas como devemos proceder.



a-importancia-do-uso-de-mascara
Photo//AdoroCinema


Pandemia longe do fim: a OMS registou o maior número de novos casos COVID-19 num único dia



Primeiro, verificar o número de novas infeções por COVID-19 na comunidade onde reside. Quanto menos casos houver menor o rico de sermos contagiados.


Segundo, avaliar seu proprio risco de infeção grave e o risco de infeção grave para aqueles com quem irá contactar.
O CDC define esses fatores principais de risco, idade acima de 65 anos ou com graves condições médicas, que incluem doença pulmonar crônica, asma moderada a grave, problemas cardíacos graves, imunodeficiência, obesidade grave (índice de massa corporal acima de 40), diabetes, doença renal diálise, doença hepática ou residentes em lares de idosos ou em um centros de assistência a longo prazo.
Se tiver um desses fatores de risco ou contactar com alguém com um desses fatores de risco, seja extremamente cauteloso.





Terceiro, adquirir conhecimento sobre como o COVID-19 é transmitido. A transmissão e as partículas transportadas pelo ar, ou superfícies contaminadas, como maçanetas, são dois dos meios de transmissão do virus .
O vírus SARS-CoV-2 que causa COVID-19 existe e sobrevive nas gotículas transportadas pelo ar, ou aerossóis, durante horas e nas superfícies de papel ou cartão durante um dia e no plástico por dois dias.
Um estudo no New England Journal of Medicine, por exemplo, mostrou que metade dos pacientes em casas de repouso que tinham COVID-19 estavam sem sintomas no momento do diagnóstico, pelo teste de PCR nasal para o vírus.


Quarto, quando falamos geramos gotículas de fluido oral que são potencialmente infeciosas, mas se usarmos uma mascara facial de pano estas são capturadas por ela, impedindo a transmissão para outras pessoas.
Use sempre uma máscara para ajudar a evitar infetar outras pessoas, evite tocar em superfícies como corrimãos, tente não tocar meus olhos ou nariz ou boca com as mãos e lave as mãos com frequência.


Quinto, tentar ficar ao ar livre, onde o risco de infeção por aerossóis é menor e, se dentro de casa, ficar a um metro e meio de distância dos outros e evitar estar muito tempo lá.


Sexto, avaliar o risco de infetar outras pessoas. Se tiver febre, tosse ou outros sintomas semelhantes aos da gripe, como dores musculares ou cansaço, não se aventure e não corra o risco de expor outras pessoas ao COVID-19.
Mesmo se saudável, use uma máscara quando estiver fora, para poder proteger os outros se estiver inconscientemente infetado, mas pré-sintomático.



Sétimo, embora seja tentador retomar as atividades normais, temos que nos lembrar, que o nosso comportamento individual afeta não apenas nossa saúde, mas também a dos outros.



Vacina contra coronavírus com resultados promissores



Referencia//The Conversation



Sem comentários:

Publicar um comentário