sábado, 30 de maio de 2020

Cientista chinês tem 99% de certeza de que a vacina COVID-19 será bem-sucedida


As potências globais estão, desesperadamente, disputando o desenvolvimento de uma vacina necessária para o COVID-19. A Universidade de Oxford do Reino Unido anteriormente expressou confiança de que seria a primeira a criar uma, mas agora uma empresa chinesa de biotecnologia pode estar assumindo a liderança.
Investigadores chineses que trabalham para desenvolver uma vacina COVID-19 têm “99%” de certeza de que será eficaz, de acordo com a SkyNews .


Vacina-covid-19
Photo//REUTERS / Dado Ruvic

Cientistas testam a vacina contra o sarampo no COVID-19



A agência de notícias, que afirma ser "a primeira emissora britânica" a visitar os laboratórios onde a vacina está sendo desenvolvida, relata que o Sinovac, com sede em Pequim, está atualmente passando por "testes de estágio 2" com a participação de "mais de 1.000 voluntários".
Quando questionado se achava que a vacina acabaria tendo sucesso, Luo Baishan, investigador do Sinovac, respondeu: “sim, sim. Deve ser bem sucedido ... 99%  de certeza. ”


O Sinovac destacou-se no mês passado, quando publicou resultados de pesquisas na revista científica Science , que demonstrou que a vacina, atualmente chamada CoronaVac, protegia macacos da infeção pelo COVID-19.
“Pesquisadores da Sinovac Biotech, uma empresa de capital fechado com sede em Pequim, administraram duas doses diferentes da vacina COVID-19 a um total de oito macacos rhesus. Três semanas depois, o grupo introduziu o SARS-CoV-2, o vírus que causa o COVID-19, nos pulmões dos macacos através de tubos nas traquéias, e nenhum deles desenvolveu uma infecção total ”, lê uma visão geral da pesquisa de Sinovac.




Os macacos que receberam a dose mais alta de vacina tiveram a melhor resposta. Sete dias após os animais receberem o vírus, os investigadores não conseguiram detetá-lo na faringe ou nos pulmões de nenhum deles. Alguns dos animais com doses mais baixas tiveram um "surto viral", mas também pareciam ter controlado a infeção ", acrescentam os autores.

No entanto, o Sinovac ainda precisa testar a vacina em seres humanos.


A Sky News relata que, devido ao "baixo número de casos de COVID-19 na China", a empresa de biotecnologia está tendo que procurar outros lugares para os ensaios em estágio 3 em humanos.
Helen Yang, diretora sênior de relações com investidores da Sinovac, disse que "estamos falando com vários países europeus e acho que discutimos com o Reino Unido também".
"Atualmente, é um estágio muito preliminar para a discussão".


Apesar do otimismo, a vacina, mesmo que seja bem-sucedida, ainda tem um longo caminho a percorrer antes de ser disponibilizada globalmente.
É relatado que os ensaios em estágio 2 ainda têm muitos meses de testes antes dos ensaios em humanos na fase 3. Além disso, a vacina exigirá o selo de aprovação regulatória dos governos antes de poder ser distribuída.
Questionada sobre se tinha certeza do sucesso, Yang disse à Sky News: “é muito difícil dizer, muito difícil dizer no momento. Existem incertezas, mas até agora, tudo bem."


Estratégia usada na vacina contra o ébola pode ser aplicada para o novo coronavírus


A China não é o único país que trabalha com uma vacina.


Por exemplo, a Universidade de Oxford do Reino Unido, que anteriormente afirmava estar "80% confiante" de que teria uma vacina pronta até setembro de 2020, fez uma parceria com a empresa farmacêutica AstraZeneca para desenvolver uma. No entanto, o Reino Unido afirmou que, embora assegure o fornecimento global, a distribuição da vacina entre os britânicos seria a primeira prioridade.
Por outro lado, Yang disse à Sky News: "Já estamos considerando não apenas a China, mas também o mundo inteiro, não apenas para conduzir um teste, mas também como fornecer uma solução para todos os países, a China e fora da China".


Vacina contra coronavírus com resultados promissores



Referencia//SkyNews




Sem comentários:

Publicar um comentário