segunda-feira, 11 de maio de 2020

As estimativas mais recentes sobre o aumento do nível do mar são muito pessimistas


Os oceanos provavelmente subirão 1,3 metros até 2100 se a superfície da Terra aquecer outros 3,5 graus Celsius, alertaram os cientistas na sexta-feira.
Em 2300, quando os mantos de gelo que cobrem a Antártida Ocidental e a Gronelândia derreterem e derramarem triliões de toneladas de agua no mar, o seu nível poderá subir mais de cinco metros nesse cenário de temperatura, redesenhando as costas do planeta, relataram os cientistas numa pesquisa elaborada pelos 100 principais especialistas.



aumento-do-nivel-do-mar
Photo//Pixabay//Wickedgood


Mudança climática pode acabar com as praias de areia até 2100




Cerca de dez por cento da população mundial, ou 770 milhões de pessoas, hoje vivem em terra a menos de cinco metros acima da linha da maré alta.
Mesmo que o objetivo do tratado climático de Paris de limitar o aquecimento global abaixo de 2 ° C seja atingido, e é um "se" muito grande, a o nível do oceano poderá subir dois metros até 2300, de acordo com um estudo da revista Climate Atmospheric Science .
A temperatura média da superfície da Terra aumentou pouco mais de 1 ° C desde a era pré-industrial, uma referência amplamente usada para medir o aquecimento global.
"Agora está claro que as estimativas anteriores da subida do nível do mar foram feitas muito por baixo", disse à AFP o co-autor Stefan Rahmstorf, chefe de análise de sistemas terrestres do Instituto Potsdam de Pesquisa de Impacto Climático (PIK).


Nas novas projeções para 2100 e 2300, os horizontes são significativamente mais elevados do que os do Painel Intergovernamental da ONU sobre Mudança Climática (IPCC), incluindo um relatório especial sobre os oceanos lançado em setembro .
"O IPCC tende a ser muito cauteloso e conservador, razão pela qual já teve que ser corrigido várias vezes", disse Rahmstorf.
As projeções sobre o nível do mar no marco do Relatório de Avaliação de 2014 do IPCC eram 60% superiores às da edição anterior, observou ele. Uma nova avaliação será finalizada até o final do próximo ano.
Embora menos visível do que os furacões climáticos ou a seca persistente, o aumento do nível do mar pode ser o mais devastador dos impactos do aquecimento global.
De fato, são os centímetros extras da água do oceano que tornam as tempestades dos ciclones tropicais cada vez mais fortes, mais mortais e destrutivas, dizem os especialistas.
Benjamin Horton, presidente interino da Escola Asiática do Meio Ambiente da Universidade Técnica de Nanyang, em Singapura, liderou a pesquisa para dar "aos formuladores de políticas uma visão geral do estado da ciência", afirmou num comunicado.


A camada de ozono está recuperando, já se notam as alteraçoes



Ao longo do século 20, o aumento do nível do mar foi causado principalmente pelo derretimento das geleiras e pela expansão da água do oceano à medida que aquecia.
Mas, nas últimas duas décadas, o principal fator tornou-se o derretimento e a desintegração das duas camadas de gelo da Terra.
A Gronelândia e a Antártica Ocidental estão derramando pelo menos seis vezes mais gelo hoje do que nos anos 90. De 1992 a 2017, eles perderam cerca de 6,4 triliões de toneladas de massa.
Na última década, o nível do mar subiu cerca de quatro milímetros por ano. Passando para o século 22, no entanto, a linha de água pode subir dez vezes mais rápido, mesmo num cenário otimista de emissão de gases de efeito estufa, afirmou o IPCC.
As camadas de gelo da Gronelândia e da Antártica Ocidental têm água congelada suficiente para elevar os oceanos a cerca de 13 metros. A Antártida Oriental, que é mais estável, tem gelo suficiente para elevar o nível do mar em 50 metros.


Quase todos os recifes de coral morrerão nos próximos 20 anos



Referencia//ScienceAlert



Sem comentários:

Publicar um comentário