quarta-feira, 1 de abril de 2020

Reino Unido vai testar medicamento contra o COVID-19

Um medicamento que poderá ajudar a tratar o coronavírus deve ser testado num pequeno número de doentes na Inglaterra e na Escócia. Os estudos, que foram acelerados pelo governo, envolverão inicialmente 15 centros do NHS.
Devido á inexistência de um tratamento conhecido para o vírus, estão a ser testados por todo o mundo varias drogas. Entre elas está um medicamento conhecido como remdesivir, que é fabricado pela empresa farmacêutica Gilead.



Photo//Reuters

O vírus COVID-19 pode estar implantado nos seres humanos há anos, sugere estudo



Dois estudos devem ser realizados no Reino Unido, um em doentes com sintomas moderados e outro naqueles que estão em estado grave. Os ensaios já estão em andamento na China e nos EUA, esperando-se os primeiros resultados nas próximas semanas.
Os ensaios no Reino Unido serão efetuados na Inglaterra e na Escócia e supervisionados pelo Dr. Andrew Ustianowski, consultor em doenças infeciosas, que passou as últimas semanas trabalhando em período integral ajudando a tratar doentes com COVID-19.
"O que realmente precisamos e o que realmente queremos é um tratamento específico contra o Coronavírus que atrase a infeção, que trate a infeção e, com sorte, que cure as pessoas. Acho que esta droga é promissora em laboratório e esperamos que seja tão promissora em humanos. Estou esperançoso, mas são necessários estudos como este para descobrir como funciona e qual a melhor forma de usá-lo."

A Gilead é especializada na produção de medicamentos antivirais.
Hilary Hutton-Squire, CEO da empresa no Reino Unido e na Irlanda, diz que o trabalho por trás desse medicamento já se prolonga por mais de dez anos.
"Há cerca de uma década, analisamos o que chamamos de vírus emergentes, analisando vírus que ainda não são um problema, mas que podem ser no futuro. Os coronavírus são uma categoria importante de vírus porque, quando os vimos passar de animais para humanos, eles causaram muitos problemas, como o SARS e o MERS."
O remdesivir foi um produto que analisamos contra SARS e MERS e vimos que ele tinha alguma atividade, e é por isso que achamos realmente importante verificar se ele tem um papel a desempenhar no tratamento de pacientes com COVID-19 o mais rápido possível”.

A agência reguladora do Reino Unido, a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA), disse estar pronta para priorizar e fornecer toda a assistência em resposta ao Covid-19, de acordo com as prioridades do governo.
"Temos procedimentos para aconselhamento científico rápido, análises e aprovações e estamos prontos para apoiar fabricantes, investigadores e outros reguladores", disse o Dr. Siu Ping Lam.
O remdesivir foi considerado como um tratamento potencial para o ébola.
A droga foi projetada para interferir na maneira como um vírus se reproduz, impedindo-o de se multiplicar dentro do corpo.
Sem terapias aprovadas para a infeção por coronavírus, as esperanças se baseiam em acelerar o processo de aprovação de medicamentos que se mostram promissores no combate à doença.



Os fumadores têm risco acrescido com o COVID-19. Pare de fumar



Referencia//BBCNews


Sem comentários:

Publicar um comentário