quinta-feira, 19 de março de 2020

Empresas de segurança na Internet alertam sobre surto de 'cybercoronavírus'

Desde que surgiu em Wuhan, na China, no final de 2019, o COVID-19 infetou mais de 182.000 pessoas, causando mais de 7.100 mortos. O vírus também causou estragos na economia mundial, cortando cadeias de abastecimentos e fechando fábricas, escritórios e escolas, provocando temores de uma recessão global.
A pandemia de coronavírus levou à intensificação da atividade de fraude na Internet, com os hackers provocando pânico do vírus, enviando aos utilizadores e-mails falsos da 'Organização Mundial da Saúde' (OMS) contendo vírus que roubam informações pessoais, alertou a Kaspersky Lab, uma empresa russa de segurança cibernética e antivírus.



Virus-informatico
Photo CC0 / Pixabay

A epidemia de coronavírus COVID-19 tem uma origem natural


Konstantin Ignatiev, chefe da divisão de análise de conteúdo da Kaspersky na Web, afirmou que a empresa observou um aumento no número de mensagens de spam e cartas sobre o assunto de coronavírus em todo o mundo, com números estimados em milhares por dia.
Uma das tendências detetadas pelo Kaspersky tem sido o uso de e-mails de phishing. “As pessoas estão recebendo e-mails falsos supostamente da OMS com 'medidas de segurança que devem ser tomadas para evitar infeções'. Assim que o utilizador clica no link, é redirecionado para o site de phishing e recebe uma oferta para compartilhar informações pessoais que caem nas mãos dos hackers ”, explica Ignatiev.
Outras armadilhas observadas pela empresa incluem uma campanha que se disfarça como uma mensagem do Banco Mundial ou do Fundo Monetário Internacional pedindo doações para as vítimas de coronavírus.

Para evitar fraudes, os usuários devem instalar um programa de segurança nos seus dispositivos. Ele irá detetar e bloquear ataques de phishing antes que eles possam causar danos ”, diz Luis Corrons, especialista em segurança cibernética da Avast.
Ruslan Suleymanov, diretor de tecnologia da informação da ESET, uma empresa eslovaca de segurança cibernética, pede aos utilizadores que excluam e-mails inesperados de remetentes desconhecidos sem pensar duas vezes. “Se receber uma URL de um dos serviços de URL encurtado (is.gd, bit.ley, etc.), não clique nela. Provavelmente, isso leva a um recurso de phishing. O mesmo vale para e-mails com anexos ”, disse ele.
As preocupações globais com o coronavírus, que a OMS formalmente classificou como pandemia na semana passada, deram origem a ataques de hackers grandes e pequenos. Na segunda-feira, a Bloomberg informou que o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA havia sofrido um grande ataque de hackers no fim de semana, com o objetivo aparentemente de desacelerar seus serviços de internet. Está atualmente em andamento, uma investigação sobre a possível fonte do ataque.

Enquanto isso, o Conselho de Segurança Nacional dos EUA registou um aumento no número de tweets falsos sobre uma quarentena ou bloqueio nacional a meio ao surto, e pediu aos americanos que não entrem em pânico.
Antes, especialistas em segurança cibernética dos EUA alertaram que os hackers estavam gerando versões falsas do popular mapa de rastreamento de coronavírus executado pela Universidade Johns Hopkins para tentar roubar senhas e outras informações do utilizador.


Novas evidências mostram como o COVID-19 reduziu a poluição atmosférica global



Referencia//SputnickNews


Sem comentários:

Publicar um comentário