domingo, 22 de março de 2020

Descoberta reserva gigante de água doce no fundo do mar na Nova Zelândia

Foi descoberta uma rara reserva de água doce no fundo do mar ao largo da costa da Ilha Sul da Nova Zelândia, o que poderia ajudar a evitar secas futuras e mitigar o impacto das mudanças climáticas nos próximos anos.
A água doce subterrâneas no fundo do mar (OFG) foram descobertas através de uma combinação de sismologia e técnicas de varredura de ondas eletromagnéticas, que foram usadas para construir um mapa 3D do aquífero do fundo do mar.



Agua
Photo//Personare

Embora a quantidade exata da água ainda não tenha sido calculada, os investigadores pensam que o sistema pode conter até 2.000 quilómetros cúbicos de água doce. O equivalente a 800 milhões de piscinas olímpicas ou mais que o lago Ontário.
Como se formou a reserva de água doce.
Esses aquíferos offshore, presos em rochas, podem ser encontrados em vários pontos do mundo, embora não sejam muito comuns. Nesse caso, é provável que grande parte da água derive das últimas três eras glaciais, dizem os cientistas.


"Um dos aspetos mais importantes deste estudo é o melhor entendimento que ele oferece á gestão da água", diz o geólogo marinho Joshu Mountjoy, do Instituto Nacional de Pesquisa em Água e Atmosfera (NIWA) na Nova Zelândia.
"No momento, usamos técnicas remotas, modelagem e geofísica. Nós realmente precisamos ir lá e fundamentar nossas descobertas e estamos investigando opções para isso."
A primeira pista de que esse sistema OFG estava escondido na cidade portuária de Timaru  foi a água salobra (uma mistura de água salgada e água doce) descoberta após um projeto de perfuração científica em 2012.

Aquifero
Imagem//Marcan

Mar Vermelho está libertando enorme quantidade de gases de efeito estufa


Foram então efetuadas mais pesquisas a bordo de um navio de pesquisa em 2017. O aquífero é invulgarmente pouco profundo, a apenas 20 metros abaixo do fundo do mar. Pensa-se que se estenda a cerca de 60 quilómetros da costa.
A sua localização é excelente, pois, com a região de Canterbury enfrentando grande pressão de uma população crescente e longos períodos de seca. O vasto reservatório de água doce pode representar metade da água subterrânea de Canterbury, dizem os investigadores.
Enquanto mapas detalhados de salinidade da água e forma do aquífero já foram elaborados, muitas incógnitas permanecem. Em seguida, a equipa quer realmente recolher amostras do sistema de água doce e compará-las com os modelos até agora.


Segundo os investigadores, as mesmas técnicas aplicadas neste estudo também poderiam ser usadas para reavaliar aquíferos semelhantes em todo o mundo.
As autoridades locais estão interessadas em explorar como o aquífero recém-descoberto pode ajudar com o abastecimento de água doce, sem danificar o meio ambiente circundante ou os ecossistemas que dependem dele.
"No que diz respeito à resiliência a longo prazo para nossas comunidades e economia, o distrito de Timaru está atualmente procurando opções para segurança hídrica a longo prazo", disse Nigel Bowen, prefeito de Timaru, a Lee Kenny, do Stuff .
"A água é nossa prioridade número um, que servirá as futuras gerações".

Com 20,75 ° C, Ilha Antártica atinge temperatura recorde


Referencia//ScienceAlert


Sem comentários:

Publicar um comentário