terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Cientistas rejeitam alegações de que o coronavírus fosse criado em laboratório

No final de janeiro, o Facebook prometeu remover todo o conteúdo com alegações falsas ou inúmeras teorias da conspiração, alegando que o coronavírus foi deliberadamente libertado num um laboratório secreto localizado em Wuhan, a cidade chinesa originária do surto.
O médico Trevor Bedford, do Centro de Pesquisa do Câncer Fred Hutchinson, em Seattle, Washington, rejeitou as teorias da conspiração, alegando que o coronavírus não foi criado em laboratório para ser usado como arma biológica.


Coronavirus
Photo REUTERS / CHINA DAIL

Quais os primeiros sintomas do coronavírus.


Não há nenhuma evidência de engenharia genética que possamos encontrar. A evidência que temos é que as mutações no vírus são completamente consistentes com a evolução natural ”, disse Bedford em uma reunião da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS), em Seattle, no início desta semana.
Ele insistiu que não há nada anormal nas mutações observadas no coronavírus que parecem semelhantes ao que se encontra na natureza, "repetidas vezes na árvore da vida".
Bedford foi apoiado pelo especialista da Universidade Rutgers, Richard Ebright, que disse ao Daily Mail que "não há motivo para suspeitar" de que o coronavírus foi produzido ou alterado em laboratório.

China anunciou um aumento de mortes e infeções do coronavirus


Isso aconteceu como resposta a algumas alegações em o vírus havia sido lançado por acidente num laboratório secreto em Wuhan, a cidade chinesa onde começou o surto.
A nova cepa de coronavírus, COVID-19, foi detetada pela primeira vez em Wuhan, localizada na província de Hubei, em dezembro e, desde então, já se espalhou para mais de 25 países. Na China continental, a doença já matou 1.523 pessoas, e infetou cerca de 66.400 pessoas.

Novo vírus intrigante, com genes desconhecidos, foi descoberto no Brasil



Referencia//SputnikNews



Sem comentários:

Publicar um comentário