quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Aeroportos da Europa vão tentar os testes rápidos COVI-19

Muitos aeroportos na Europa estão trabalhando para ter testes COVID-19 de 30 minutos, segundo relatórios da Bloomberg . 

A indústria da aviação espera poder persuadir mais pessoas a retomar as viagens aéreas.


aviao-aeroporto
Photo//Pixabay//dmncwndrlch


Com o custo de 5 dólares, o novo teste para a covid-19 dá o resultado em 15 minutos


O aeroporto internacional de Roma foi o primeiro a introduzir a triagem rápida antes do voo no início deste mês. Heathrow, o aeroporto mais movimentado da Europa, também está testando soluções semelhantes.

Precisamos que o sistema funcione e funcione rapidamente. Caso contrário, esta indústria não sobreviverá ”, disse o diretor-geral da Associação Internacional de Transporte Aéreo, Alexandre de Juniac, durante evento na quinta-feira.



A indústria está agonizante

As viagens internacionais praticamente pararam durante a pandemia, com os governos em todo o mundo colocando fortes restrições ao movimento de pessoas para reduzir infeções.

Algumas companhias aéreas esperam que a triagem antes do voo possa permitir que os viajantes não façam a quarentena após a viagem. Por exemplo, a United Airlines acredita que os passageiros poderiam deixar os requisitos de quarentena de 14 dias em certos voos de e para o Havaí,.

 

Testes rápidos de antígeno

Os “testes rápidos de antígeno” podem detetar uma proteína específica na superfície do vírus, uma diferença dos testes de reação em cadeia da polimerase (PCR), usuais, que geralmente demoram muito mais. O teste envolve um simples cotonete e pode ser concluído em apenas 30 minutos, sendo também muito mais barato.

A ideia é que os viajantes sejam examinados até 72 horas antes de embarcar num voo. Qualquer pessoa com resultado positivo será mandada de volta para casa e obrigada a se isolar. Mas os especialistas estão preocupados com o facto dos testes de antígeno não serem tão sensíveis quanto o PCR, algumas pessoas infetadas poderiam passar no teste como negativo.


Os pontos positivos e negativos do teste em massa para coronavírus


Referencia//Bloomberg




quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Descoberto principal fator responsável pela disseminação do coronavírus

Com a ajuda de modelos teóricos e experiências hidrodinâmicas, os especialistas analisaram a influência da humidade, da temperatura do ambiente e da velocidade do vento na proliferação de gotículas de saliva que contêm partículas do coronavírus.

Segundo o portal EurekAlert!, a equipa de cientistas descobriu que a vitalidade do vírus diminui em altas temperaturas e baixa humidade relativa devido à rápida evaporação. Em temperaturas quentes e com humidade alta, porém, a possibilidade de transmitir o coronavírus continua alta.

 


Coronavirus
Photo//Pixabay//geralt


Descoberto tratamento capaz de neutralizar completamente o coronavirus


"Se a humidade relativa do ar em recintos fechados for menor do que 40%, as partículas emitidas por pessoas contaminadas absorvem menos água, se mantendo mais leves, voam mais longe através da divisão e têm maior probabilidade de serem inaladas por pessoas saudáveis. Além disso, o ar seco torna as mucosas de nossos narizes secas e mais vulneráveis a vírus", explicou Ajit Ahlawat, professor do Instituto de Pesquisa Troposférica Leibniz (Alemanha).

A descoberta é particularmente importante devido ao inverno que se aproxima no Hemisfério Norte do planeta, onde milhões de pessoas vão permanecer em ambientes fechados e aquecidos.



A pandemia do coronavírus, que teve os primeiros casos registados na cidade chinesa de Wuhan, demonstra estar a acelerar, ressurgindo uma segunda onda em diversos países. De acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), o número global de casos já soma mais de 31 milhões, resultando mais de 970 mil falecimentos.


Vacina Covid-19 inicia hoje os testes da terceira fase



Referencia//Eurekalert

Descoberto exoplaneta do tamanho da Terra com órbita de 3,14 dias

Cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), com a ajuda de astrónomos de outras instituições, descobriram um planeta que orbita a sua estrela a cada 3,14 dias.

A partir de dados recolhidos em 2017 durante a missão K2, do telescópio espacial Kepler da agência espacial norte-americana NASA, os astrónomos perceberam que luz da estrela EPIC 249631677 perdia força por um momento e voltava a brilhar com a mesma intensidade em intervalos de 3,14 dias.


exoplaneta
Photo//Pixabayflflflflfl//

Astrónomos fotografam pela primeira vez um sistema solar semelhante ao nosso


A equipa percebeu que se tratava de um trânsito planetário e, com a ajuda de algoritmo de previsão de tempo e da rede de telescópios SPECULOOS, em fevereiro deste ano os cientistas conseguiram observar dois trânsitos no hemisfério sul e um no norte. A descoberta foi publicada na segunda-feira (21) na revista científica The Astronomical Journal.

"O planeta move-se como um relógio", afirma em comunicado Prajwal Niraula, autor principal do artigo. Esse exoplaneta foi batizado de K2-315b, e é o 315º sistema planetário descoberto dentro dos dados da missão K2.

Os astrónomos estimam que o K2-315b tem raio que equivale a 0,95 ao raio da Terra, tornando-o quase do tamanho do nosso planeta, o que justifica a brincadeira no título do estudo: "Terra pi". K2-315b orbita uma estrela fria que tem tamanho equivalente a um quinto do Sol do nosso Sistema Solar a uma velocidade de 81 quilómetros por segundo.



 

A Via Láctea pode conter até 6 biliões de planetas semelhantes à Terra

Planeta sem vida

Embora a massa do exoplaneta ainda não tenha sido determinada, os cientistas suspeitam que K2-315b tenha uma massa semelhante à da Terra. Mas o exoplaneta provavelmente não é habitável, visto a sua órbita o aproximar muito da sua estrela. As temperaturas de K2-315b devem atingir 176 ºC.

 

"Isso seria quente demais para ser habitável no entendimento comum da frase", explica Niraula, que acrescenta que a admiração desse exoplaneta em particular, além de suas associações com a constante matemática pi, é que K2-315b pode se revelar um candidato promissor para estudar as características de sua atmosfera.


O exoplaneta K2-18b pode ter as condições certas para a vida


Referencia//SputnikNews